Assassinato

Caso André Lobo: polícia prende autor do homicídio

O homem, a princípio identificado como "Nem", tentou reagir à prisão.
Imirante.com23/07/2014 às 22h51
Foto: Divulgação / SSP.

ITAPECURU- MIRIM– Um suspeito de participação no homicídio do cantor André Lobo foi preso na noite desta quarta-feira (23), na cidade de Itapecuru-Mirim, a 119 km de distância de São Luís. Glaubson Maranhão dos Santos, a princípio identificado como “Nem”, tentou reagir à prisão e ficou ferido no confronto com os policiais que realizaram a operação.

Leia também:

Cantor André Lobo é assassinado, em São Luís, na manhã desta quinta-feira;

Testemunha conta que André Lobo foi morto covardemente, no trânsito;

Polícia prende suspeitos de envolvimento na morte do músico André Lobo

De acordo com o delegado-geral Augusto Barros, “o ‘Nem’ já estava sendo investigado pela polícia; buscamos apurar, minuciosamente, nossas informações para que chegássemos até o envolvido no caso de homicídio”. A operação ocorreu sob sigilo policial e foi executada pela Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC), Delegacia de Homicídios e contou, também, com reforço policial das delegacias regionais de Rosário e Itapecuru-Mirim.

De acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública, "Nem" estava em um veículo Santana, acompanhado do irmão Glaydson Maranhão dos Santos e de José Ribamar da Conceição Costa. Os três foram detidos e autuados pelo crime de associação criminosa.

“Nem” passou a noite detido em Itapecuru-Mirim. No início da manhã, policiais fizeram a transferência do preso para São Luís, e ele foi encaminhado ao Hospital Socorrão II. Augusto Barros disse que “possivelmente, apresentaremos o envolvido no caso durante coletiva de imprensa e daremos esclarecimentos sobre a investigação à sociedade”. O horário da coletiva será confirmado, posteriormente, pela Secretaria de Segurança Pública (SSP).

O caso André Lobo

No dia 8 maio, após uma discussão no trânsito, o jornalista e cantor André Lobo foi alvejado com quatro tiros que atingiram o tórax, o abdômen e a cabeça. A outra ocupante do veículo dirigido por André Lobo, Tereza Gomes da Silva, foi baleada na perna e sobreviveu à tentativa de homicídio. De acordo com informações divulgadas na época, a discussão no trânsito foi a principal motivação do crime.

No depoimento sobre o homicídio, Tereza disse que, ao deixarem uma festa no Anil, por volta das 5h da madrugada, eles resolveram se divertir em um bar, localizado na Forquilha. Quando estavam próximo a uma boate, o veículo EcoSport colidiu, de forma violenta, na lateral do SpaceFox dirigido por André. Ela disse que André não quis discutir, alegando que chamaria a perícia. De repente, apareceram seis homens. Um deles chegou com o revólver em punho atirando Tereza. Em seguida, em seguida, o homem baleou André Lobo.

André chegou a ser levado para o Hospital Djalma Marques (Socorrão I) para ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

Prisões de suspeitos

No dia 27 de maio, a Polícia Civil prendeu três pessoas suspeitas de terem participado da morte de André Lobo. Wilkerson Alisson Lima da Silva, 19 anos, conhecido como "Bill", Kelson Lopes Rosa, de 21 anos; e David Wendel Paulino Silva, de 20 anos. Os suspeitos foram presos com um veículo Fiat Strada Adventure sem placa e duas pistolas calibre 380.

Na delegacia, segundo a polícia, os três confirmaram que estavam juntos no dia da morte de André Lobo, mas somente "Nem" teria efetuado os disparos.

André Lobo, assassinado no dia 8 de maio. Foto: Arquivo Pessoal.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.