Combate ao trabalho análogo de escravidão

Ong Repórter Brasil realiza mais uma etapa do projeto Escravo, nunca mais, em Imperatriz

A etapa atual do projeto está sendo realizada no Centro de Ensino Governador Archer.
João Rodrigues/ Imirante Imperatriz12/03/2016 às 11h06

IMPERATRIZ – Ocorre durante todo este sábado (12), no Centro de Ensino Governador Archer, da rede estadual de ensino, mais uma etapa do projeto Escravo, nem pensar promovido pela Organização Não-Governamental (ONG), Repórter Brasil. O projeto está sendo executado em vários Estados brasileiros.

De acordo com a jornalista Silvanete Gomes, que integra a coordenação, nesta etapa os professores que receberam treinamento, estão repassando os conhecimentos e discutindo com os colegas sobre as maneiras de trabalhar o projeto na sala de aula.

Formada por jornalistas, educadores e cientistas sociais, a entidade está levando o projeto a 50 municípios de seis Estados, que são eles:Bahia, Matogrosso, Pará, Tocantins, Piauí e Maranhão.

No Maranhão os municípios que recebem a ação são Açailândia, Imperatriz, Balsas, Codó, São João dos Patos e São Luis.

“Você sabia que o Maranhão é o primeiro Estado do Brasil em aliciamento da mão-de-obra para o trabalho análogo da escravidão? Então o projeto é direcionado para esses locais onde há situação de análogo de escravo”, justificou Silvanete Gomes.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.