Beach Soccer

Sampaio Corrêa perde para o Presidente Hayes na prorrogação e fica com o vice-campeonato da Libertadores de Beach Soccer

Bolívia Querida fez a sua melhor campanha na história da competição continental.

Gustavo Arruda / Imirante Esporte

- Atualizada em 26/06/2023 às 03h11
Sampaio Corrêa e Presidente Hayes fizeram uma final emocionante na Libertadores de Beach Soccer.
Sampaio Corrêa e Presidente Hayes fizeram uma final emocionante na Libertadores de Beach Soccer. (Divulgação / Conmebol)

IQUIQUE (CHILE) - O Sampaio Corrêa disputou, na noite deste domingo (25), o jogo mais importante de sua história no beach soccer diante do Presidente Hayes, do Paraguai, na grande final da Copa Libertadores, realizada na Arena de Playa Cavancha, em Iquique, no Chile. Em busca da glória eterna, o Sampaio lutou até o último momento em uma decisão emocionante e cheia de reviravoltas, mas teve que adiar o sonho do inédito título continental: o Tubarão perdeu por 6 a 5 para o Presidente Hayes na prorrogação e sagrou-se vice-campeão da Libertadores, registrando a sua melhor campanha na principal competição de beach soccer da América do Sul.

Leia também: Jefinho valoriza esforço do Sampaio Corrêa: "Fizemos o nosso melhor"

Encarando um Presidente Hayes embalado por cinco vitórias consecutivas na Libertadores de Beach Soccer, o Sampaio Corrêa foi firme na defesa e eficiente no ataque, abrindo 2 a 0 com dois gols de Sikinha. A equipe paraguaia, entretanto, cresceu de produção, começou a encontrar espaços na defesa tricolor e precisou de dois tempos para virar o jogo, abrindo vantagem de 4 a 2 no placar. No terceiro tempo, o Sampaio deixou tudo igual em 4 a 4, e as duas equipes ainda marcaram um gol cada no último minuto, encerrando o placar do tempo normal em 5 a 5. Já na prorrogação, o Sampaio não aproveitou as chances e o Presidente Hayes garantiu a vitória por 6 a 5 com um gol a 28 segundos do fim do tempo extra.

Atual campeão brasileiro e do Circuito Brasil de Beach Soccer, o Sampaio Corrêa disputou a Copa Libertadores de Beach Soccer pela terceira vez. O Tricolor foi eliminado nas quartas de final em 2017, no Paraguai, e garantiu a terceira colocação em 2018, quando a competição foi disputada no Rio de Janeiro. A Bolívia Querida se despede da Libertadores com uma campanha de quatro vitórias e duas derrotas em seis partidas, marcando 34 gols e sofrendo 16.

O jogo

O Sampaio Corrêa adotou uma postura cautelosa no início da decisão, tentando segurar a pressão do Presidente Hayes: o goleiro Jefinho, atento, fez quatro grandes defesas em finalizações da equipe paraguaia. Com o passar do tempo, o Tricolor equilibrou o jogo e abriu o placar aos três minutos do primeiro tempo, após Luis Quinta puxar contragolpe e dar um passe na medida para o chute certeiro de Sikinha.

Mesmo depois do gol do Sampaio Corrêa, o cenário não mudou: com maior posse de bola, o Presidente Hayes arriscava finalizações e parava em boas intervenções de Jefinho, enquanto a Bolívia Querida levava perigo nos contra-ataques, principalmente com Marciel. Aos 11 minutos, o Sampaio chegou ao segundo gol, novamente com Sikinha, que aproveitou cobrança de escanteio de Willian e cabeceou firme. O Presidente Hayes, entretanto, reagiu rápido e diminuiu o prejuízo sete segundos depois, com Nestor Medina, após rápida troca de passes.

No segundo tempo, o Presidente Hayes intensificou a pressão sobre o Sampaio Corrêa e empatou com apenas um minuto, em um golaço de bicicleta de Nestor Medina, que acertou o ângulo esquerdo de Jefinho. O Tubarão tentou segurar o empate, mas os paraguaios encaixaram seu jogo: Milciades Medina, aos nove minutos, virou o jogo com uma finalização de bate-pronto, e Carlos Benitez, aos 10, desviou uma finalização de bicicleta de Nestor Medina, ampliando a vantagem do Presidente Hayes.

Precisando de dois gols em 12 minutos, o Sampaio Corrêa foi com tudo para o ataque no terceiro quarto. Diante da forte marcação do Presidente Hayes, o Tricolor diminuiu o prejuízo em uma bela jogada individual de Sikinha, que passou pelos defensores paraguaios e chutou firme, no canto direito. Aos 10 minutos, o Sampaio arrancou o empate de uma maneira curiosa: Carlos Benitez tentou recuar a bola para o goleiro Ovelar, mas fez gol contra. No último minuto, Benitez se redimiu e marcou um belo gol, recolocando o Presidente Hayes em vantagem, porém, Sikinha acertou um chute forte em tiro livre direto, restando 27 segundos para o fim, marcou o seu quarto gol na partida e decretou o empate por 5 a 5 no tempo normal.

Na prorrogação, o Sampaio Corrêa teve duas grandes chances para marcar o sexto gol e reassumir a vantagem no placar, mas o goleiro Ovelar parou uma cobrança de tiro livre direto de João Marcos e um voleio de Sikinha. Quando a decisão por pênaltis parecia certa em Iquique, Milciades Medina, com o auxílio do "morrinho artilheiro", recolocou o Presidente Hayes na frente, faltando 28 segundos para o fim. O Sampaio foi todo para o ataque nos últimos instantes, mas não conseguiu impedir a festa paraguaia.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram, TikTok e canal no Whatsapp. Curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.