Futebol

Presidente do Sampaio Corrêa nega suposto desinteresse em acesso à Série A: "Maior falácia"

Sergio Frota ressaltou que a Bolívia Querida teria aumento significativo na receita com participação na Primeira Divisão.

Gustavo Arruda / Imirante Esporte

- Atualizada em 18/11/2022 às 01h40
Sergio Frota, presidente do Sampaio Corrêa.
Sergio Frota, presidente do Sampaio Corrêa. (Ronald Felipe / Sampaio Corrêa FC)

SÃO LUÍS - Durante a live promovida nas redes sociais do Sampaio Corrêa nesta quarta-feira (16), para falar sobre reforços, renovações contratuais e saídas de atletas para a temporada de 2023, quando a equipe tricolor completa 100 anos de fundação, o presidente do clube, Sergio Frota, desmentiu um suposto desinteresse da diretoria da Bolívia Querida em disputar a primeira divisão do Campeonato Brasileiro. Em 2020 e 2022, o Sampaio fez grandes campanhas na Série B e ficou muito perto de garantir o acesso à Série A, competição que não disputa há 36 anos.

Além de detalhar os valores que o Sampaio Corrêa recebe pela participação na Série B, Sergio Frota estimou um aumento de mais de 100% na receita anual da Bolívia Querida em caso de acesso à Série A. O presidente do Tubarão também ressaltou que uma participação na elite do Brasileirão aumentaria a presença de público nos jogos do clube no Estádio Castelão e movimentaria a economia de São Luís.

"Quando você vai fazer um planejamento orçamentário, você tem que ver todas as condições, e no futebol não é diferente, futebol é uma empresa, com receitas, despesas, compromissos, encargos, impostos, funcionários com relação trabalhista. Esse assunto me causa espanto, pois há uma desconstrução do trabalho que é feito no Sampaio por parte de certos segmentos. Recebemos 8, 9 milhões pela Série B, e ainda tem descontos de INSS, direitos de arena, salários do elenco e da comissão técnica, aluguéis. Nós passaríamos de 9 para 25 milhões com o acesso, aí vem um jumento e diz que a gente não quer subir, quero saber o que esse pessoal tem na cabeça. Não quer subir por que? Uma Série A é geração de emprego e renda para as pessoas que não tiveram oportunidades e não tiveram condições de se qualificar, para quem vende picolé, cachorro-quente, cerveja. Se sobe, traz um Flamengo, um Corinthians. O único jogo que tivemos renda digna de time de Série B foi contra o Vasco. Essa história de não querer subir é a maior falácia que já teve no futebol maranhense. (A receita anual) Vai passar de 14, 15 milhões para 30 ou 40 milhões, quem é o louco que não quer dinheiro em um sistema capitalista e uma economia globalizada?", afirmou o presidente do Sampaio Corrêa.

Na mesma live, Sergio Frota fez anúncios importantes, como as saídas do atacante Gabriel Poveda e do técnico Léo Condé e os quatro primeiros reforços do Sampaio Corrêa para a temporada de 2023: o volante Emerson Souza (ex-Londrina) e os atacantes Vinícius Alves (ex-XV de Piracicaba), Matheus Martins (ex-Aruko-PR) e Rafael Furtado (ex-Santa Cruz). Além disso, o presidente do Tubarão confirmou as renovações de contrato com o zagueiro Gabriel Furtado e o atacante Andrey.

Na temporada de 2023, o Sampaio Corrêa terá calendário cheio, com participações em quatro competições: além de lutar pelo tetra do Campeonato Maranhense, a Bolívia Querida disputará a Copa do Brasil, a Copa do Nordeste e o Campeonato Brasileiro Série B.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.