Vôlei

Taubaté vence o Sesi e é campeão inédito da Superliga Masculina

Quinto jogo da final foi disputado no sábado (11), em Suzano.
Imirante Esporte, com informações da CBV12/05/2019 às 12h15
Taubaté vence o Sesi e é campeão inédito da Superliga MasculinaTaubaté conquistou a Superliga pela primeira vez. (Gaspar Nobrega / Inovafoto / CBV)

SUZANO - O EMS Taubaté Funvic (SP) é o campeão da Superliga Cimed masculina de vôlei 18/19. Neste sábado (11.05), o time de Taubaté (SP) superou o Sesi-SP por 3 sets a 1 (25/21, 25/22, 21/25 e 25/20), na Arena Suzano, em Suzano (SP). Com o resultado, a equipe dirigida pelo treinador Renan fechou o playoff melhor de cinco por 3 jogos a 2, conquistando, assim, o primeiro título da competição.

O oposto Leandro Vissotto brilhou na final, teve a maior votação no site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) e ficou com o Troféu VivaVôlei. Foi o segundo troféu de melhor jogador do atacante no playoff decisivo da competição.

“A conquista dessa Superliga Cimed foi um sonho realizado. Fiquei muito tempo fora do Brasil e estar de volta em um time cheio de craques foi muito prazeroso. Estou muito feliz e emocionado. Minha família está no ginásio e o fato deles poderem ter assistido tudo isso foi ainda mais especial. Nunca imaginei viver essa emoção na minha carreira e estou muito contente. Só tenho que agradecer a esse grupo”, disse Vissotto.

Capitão e grande líder do time de Taubaté, o levantador Raphael falou sobre a enorme satisfação de ter feito parte desta conquista e, consequentemente, ter entrado para a história da equipe.

“Apesar de tantas dificuldades que esse grupo enfrentou, conseguimos sair do momento ruim e esse título veio para coroar primeiro o projeto e depois esse grupo, que foi sensacional e tem todo o mérito disso. Normalmente falamos só de jogadores, mas tem tanta gente que sofreu junto, trabalhou tanto para que chegássemos aqui. Para mim é uma honra, um privilégio, uma alegria tão grande fazer parte disso tudo que me faltam palavras”, disse Rapha.

Capitão do Sesi-SP, William também falou sobre o valor de chegar a uma final de Superliga Cimed e a equilibrada disputa desta série de cinco jogos.

“Chegar a final da Superliga Cimed é muito difícil. Parar e analisar o que aconteceu é difícil agora, foi super disputado. Ganhou o time que conseguiu abrir e sustentar por mais tempo a vantagem. Mas, foi uma baita final. Cinco jogos lindos. Estou chateado pela derrota, mas feliz pelo que a equipe produziu. Chegar a uma final é muito complicado e não posso ser egoísta e achar que tem alguma coisa errado. Vamos pensar na próxima temporada”, disse o levantador do time de São Paulo.

Para chegar a grande decisão, o EMS Taubaté Funvic terminou a fase classificatória em terceiro e enfrentou, nas quartas de final, a equipe do Vôlei Renata (SP), vencendo por 2 jogos a 1. Na semifinal, passou pelo Sada Cruzeiro (MG), já em série melhor de cinco jogos, por 3 a 0. E, na final, precisou das cinco partidas possíveis para subir ao degrau mais alto do pódio.

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.