Venceu

Mesmo sem brilho, Santos bate o Botafogo-SP e ganha tranquilidade

Os comandados de Dorival Júnior chegaram aos 10 pontos.
Gazeta Esportiva25/02/2017 às 21h19

O Santos tirou um peso enorme das costas neste Carnaval. Após duas derrotas e um empate, contra São Paulo, Ferroviária e Ituano, respectivamente, o Peixe bateu o Botafogo-SP por 1 a 0, na tarde deste sábado, na Vila Belmiro, e conseguiu superar as vase recuperar no Campeonato Paulista. Mesmo ainda previsível e sem apresentar um grande futebol, o alvinegro contou com as falhas do goleiro Neneca, e o brilho de Vitor Bueno e Rafael Longuine para acabar com um jejum de 317 minutos sem gols e retomar o caminho das vitórias dentro de casa.

Com o triunfo, os comandados de Dorival Júnior chegaram aos 10 pontos e voltaram para a segunda colocação do grupo D do Paulistão. Porém, os santistas precisam torcer por um tropeço da Ponte Preta diante do São Bernardo, ainda neste sábado, em Campinas. Já o Botafogo-SP, por sua vez, estacionou nos sete pontos e segue na terceira posição da chave A, liderada pelo Corinthians.

Na sétima rodada, o Peixe encara o clássico contra o Timão, no próximo sábado, às 18h30 (de Brasília), em Itaquera. Já o Pantera recebe o Mirassol, na sexta-feira, às 19h.

Algumas chances, mas primeiro tempo fraco
Após a previsibilidade e a lentidão dos últimos os jogos, o Santos até começou o duelo deste sábado de forma mais incisiva. Logo no primeiro lance, Leandro Donizete rolou para Bruno Henrique, que parou em Neneca. Na cobrança de escanteio, Vitor Bueno tentou um gol olímpico e o goleiro do Botafogo-SP salvou mais uma.

Apesar do bom início, o Peixe acabou diminuindo o ritmo com o passar do jogo e a equipe de Ribeiro Preto cresceu. Aos 15 minutos, Fernandinho mandou cruzou na área santista, Caio Ruan desviou de cabeça e a bola passou por cima do gol de Vanderlei.

Depois de algum tempo relembrando a fraca apresentação no empate diante do Ituano, na última terça-feira, o alvinegro ‘acordou’ na Vila Belmiro e assustou Neneca após cruzamento de Bruno Henrique. Na sequência, Copete aproveitou desvio após escanteio, mas bateu por cima. Dois minutos depois, o volante Leandro Donizete fez longo lançamento para Ricardo Oliveira. Sozinho, o centroavante desviou de cabeça, mas errou o alvo por muito.

O meia Vitor Bueno, apagado como armador do time, arriscou de fora de área. A bola veio quente, mas Neneca segurou firme e impediu a abertura do marcador. Apesar de ainda ter criado algumas oportunidades, o Santos mais uma vez foi lento, pouco criativo e não saiu do zero no primeiro tempo.

Fim do jejum e vitória garantida
Na volta do intervalo, o técnico Dorival Júnior precisou sacar Yuri, que sentiu uma pancada nas costas e não tinha mais condições de jogo. Com isso, o zagueiro Cleber, expulso contra a Ferroviária no último sábado, entrou em campo.

A mudança não surtiu efeito algum e o Santos continuou fazendo uma partida morosa e sem objetividade. Buscando recuperar a armação do time, perdida com a ausência de Lucas Lima e a fraca apresentação de Vitor Bueno, o comandante do Peixe sacou Leandro Donizete e colocou Rafael Longuine em campo.

A falta de brilho era tanta, que o alvinegro conseguiu assustar o Botafogo-SP apenas aos 15 minutos da segunda etapa. Após belo lançamento de Victor Ferraz, Bruno Henrique cruzou rasteiro para Copete. O colombiano, porém, chegou atrasado e não conseguiu concluir a jogada.

Após a boa chance perdida, o Santos acordou e conseguiu abrir o placar na Vila Belmiro. Ricardo Oliveira arriscou de fora da área e o goleiro Neneca bateu roupa. No rebote, o meia Vitor Bueno apareceu sozinho e só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes, acabando com um jejum de 317 minutos sem o Peixe anotar um tento na temporada.

O gol tirou um peso enorme dos santistas, que se soltaram mais no duelo e quase chegaram ao segundo. Aos 22, Vitor Bueno cobrou escanteio e Cleber cabeceou com perigo, assustando Neneca.

Em desvantagem no marcador, o Botafogo-SP se lançou para buscar o empate. O Santos, por sua vez, viu o rival se expor e explorava os contra-ataques. Antes morosa, a partida ficou movimentava e cheia de alternativas na Vila. No último lance do duelo, a equipe de Ribeirão Preto errou uma saída e Vitor Bueno roubou a bola. O camisa 7 lançou para Ricardo Oliveira, que achou Rafael Longuine livre dentro da área. O meia teve tranquilidade para driblar Neneca, tocar para o fundo das redes e decretar o fim da sequência negativa do Peixe.

FICHA TÉCNICA:
SANTOS 2 X 0 BOTAFOGO-SP

Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 25 de fevereiro de 2017, sábado
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza
Assistentes: Gustavo Rodrigues de Oliveira e Vitor Carmona Metestaine
Cartões amarelos: SANTOS: Bruno Henrique. BOTAFOGO-SP: Diego Pituca, Fernando Medeiros e Fernandinho.
Público: 5.208
Renda: R$ 160.730,00

GOLS:
SANTOS: Vitor Bueno, aos 17 minutos do 2T; Rafael Longuine, aos 46 do 2T.

SANTOS: Vladimir; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Yuri (Cleber) e Zeca; Leandro Donizete (Rafael Longuine), Thiago Maia e Vitor Bueno; Bruno Henrique (Arthur Gomes), Copete e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Júnior

BOTAFOGO-SP: Neneca; Samuel Santos, Caio Ruan, Filipe e Fernandinho; Bileu, Marcão Silva, Diego Pituca (Fernando Medeiros) e Rafael Bastos (Bernardo); Francis e Wesley (Kauê).
Técnico: Moacir Júnior

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.