Motivação Financeira

Facebook retira do ar páginas e perfis acusados de praticar "fazenda de anúncios"

Empresa não relacionou exclusões à campanha de Jair Bolsonaro ou proliferação de fake news
José Linhares Jr22/10/2018 às 17h12
Comunicado da empresa não fez menção à campanha de Jair Bolsonaro

O Facebook anunciou nesta 2ª feira a remoção 68 páginas e 43 contas associadas ao grupo RFA (Raposo Fernandes Associados) por violação de normas da empresa. Segundo o comunicado, foram criados vários perfis falsos ou repetidos para veicular notícias que atraiam o usuário para sites externos.

Apesar de parte da imprensa afirmar que se trata de uma rede de "fake news", o Facebook deixou claro em sua nota que essas páginas tinham como principal função monetizar cliques para alavancar ganhos com anúncios.

Entre as remoções, estavam páginas bastante conhecidas como Correio do Poder, MCC (Movimento Contra Corrupção), Folha Política, TV Revolta e Gazeta Social.

Confira NA ÍNTEGRA a nota do Facebook.

Removendo spam e atividade inautêntica do Facebook no Brasil

Autenticidade é algo fundamental para o Facebook, porque acreditamos que as pessoas agem com mais responsabilidade quando usam suas identidades reais no mundo online. Por isso, exigimos que as pessoas usem seus nomes reais e também proibimos spam, uma tática geralmente usada por pessoas mal intencionadas para aumentar de maneira artificial a distribuição de conteúdo com o objetivo de conseguir ganhos financeiros.

Hoje, como parte de nossos esforços permanentes para proteger nossa comunidade e nossa plataforma de abusos, o Facebook Inc removeu 68 Páginas e 43 contas associadas ao grupo brasileiro Raposo Fernandes Associados (RFA), por violação de nossas políticas de autenticidade e de spam.

Remover comportamentos que violem os nossos Padrões da Comunidade é um trabalho contínuo, e estamos atuando arduamente para garantir a integridade da plataforma, com especial atenção em períodos eleitorais.

As pessoas por trás da RFA criaram Páginas usando contas falsas ou múltiplas contas com os mesmos nomes, o que viola nossas políticas. Eles então usavam essas Páginas para publicar uma grande quantidade de artigos caça-cliques, com o objetivo de direcionar as pessoas para seus sites fora do Facebook. Esses sites, por sua vez, têm uma grande quantidade de anúncios programáticos e pouco conteúdo, funcionando como “fazendas de anúncios” (“ad farms”, em Inglês). Nós baseamos nossa decisão de remover essas Páginas pelo comportamento delas – como o fato de que estavam usando contas falsas e repetidamente publicando spam -, e não pelo conteúdo que estavam postando. Esse comportamento foi detectado no Facebook, e não há sinais de abuso em nossos outros aplicativos.

Embora a atividade de spam esteja comumente associada à oferta fraudulenta de produtos ou serviços, temos visto spammers usando cada vez mais conteúdo sensacionalista político – em todos os espectros ideológicos – para construir uma audiência e direcionar tráfego para seus sites fora do Facebook, ganhando dinheiro cada vez que uma pessoa visita esses sites. E isso é exatamente o que as Páginas e as contas que removemos hoje estavam fazendo.

Trabalhamos o tempo todo para detectar esse tipo de abuso, e sabemos que as pessoas por trás de tais atividades – seja por motivação econômica ou política – irão modificar suas táticas com o passar do tempo.

Nós implementamos uma série de medidas para proteger o Facebook antes da eleição no Brasil. Continuaremos a investir para evitar que abusem de nossas plataformas, porque queremos que as pessoas se sintam seguras e confiem nas conexões que fazem no Facebook.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.