Reforma da Previdência

Temer diz que adiamento da reforma da Previdência foi “ótimo” para ganhar votos

“Vai ficar para fevereiro? Ótimo. Porque estamos contando votos", disse Michel Temer.
Imirante.com, com informações da Agência Brasil15/12/2017 às 20h16
Temer diz que adiamento da reforma da Previdência foi “ótimo” para ganhar votos O presidente deu posse ao novo ministro depois de receber alta do Hospital Sírio-Libanês. (Alan Santos / PR)

BRASÍLIA - O presidente Michel Temer procurou mostrar otimismo ao falar sobre a reforma da Previdência ao dar posse ao deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) como ministro da Secretaria de Governo. Temer disse que o adiamento da votação para fevereiro de 2018 foi “ótimo” e que o governo ganhou tempo para garantir mais votos.

“Vai ficar para fevereiro? Ótimo. Porque estamos contando votos. No mês de janeiro, os parlamentares vão para suas bases e verão que não há oposição feroz à reforma da Previdência”, disse Temer. O presidente deu posse ao novo ministro depois de receber alta do Hospital Sírio-Libanês, onde passou por uma pequena cirurgia urológica. Como tem sido hábito em solenidades nas últimas semanas, Temer utilizou a cerimônia para defender a reforma da Previdência.

Leia também:

Moreira Franco diz ter convicção de que Reforma da Previdência será aprovada

Meirelles: proposta de reforma da Previdência não está aberta a negociações

Após mencionar as oscilações do mercado quando há dúvidas sobre a aprovação da reforma, Temer se mostrou confiante no sucesso do governo. “Nós vamos aprovar a [reforma da] Previdência no Congresso Nacional. Não tenho a menor dúvida disso”, afirmou.

Temer aproveitou para pedir ao novo ministro todos os esforços em prol da reforma. “Eu peço a você, viu Marun, que na sua atuação na articulação política, dedique-se dia e noite, 18 horas por dia, se possível 20 horas, à reforma da Previdência. Você tem energia para isso, energia física, comunicativa, intelectual”.

Imbassahy

Marun substitui na pasta o também deputado federal Antônio Imbassahy, que se despediu do cargo defendendo o papel do PSDB no governo Temer após o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Segundo ele, o partido não contrariou a sua história e assumiu o compromisso com a agenda de reformas, que “vem sendo cumprida rigorosamente”. Em discurso no evento, o tucano elogiou o trabalho do Congresso Nacional, ao aprovar projetos enviados pelo governo.

Antes de elogiar a “experiência e a qualidade” de Carlos Marun para assumir o cargo, o agora ex-ministro mencionou as dificuldades do trabalho na Secretaria de Governo.

“Trabalhei com foco em manter a estabilidade política, crucial para manter o avanço do país. A articulação política é uma tarefa difícil por natureza, mas a dificuldade se acentua em um período pós-impeachment, de recessão profunda, de gravíssimas restrições fiscais e grande fragmentação partidária”, afirmou.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.