Petrobras

Comunicado surpreende mercado e anuncia renúncia de Graça Foster da Petrobras

Nova diretoria deve ser eleita em reunião do Conselho de Administração nesta sexta-feira (6).
Imirante.com04/02/2015 às 10h21

SÃO LUÍS – A presidenta Dilma Rousseff se reuniu, nessa terça-feira (3), com a presidenta da Petrobras, Graça Foster, onde estabeleceu um cronograma de saída de Foster e de todos os diretores da Petrobras. De surpresa, nesta quarta-feira (4), um comunicado da Petrobras enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) – que supervisiona os mercados financeiros no país – anunciou a renúncia de Graça Foster, além de cinco outros diretores.

"A Petrobras informa que seu Conselho de Administração se reunirá na próxima sexta-feira, dia 06.02.2015, para eleger nova Diretoria face à renúncia da presidente e de cinco diretores", diz o texto.

A nova diretoria deve ser eleita em reunião do Conselho de Administração nesta sexta-feira (6). Anteriormente, a previsão da saída de Foster era para março, após a reunião do Conselho de Administração da empresa em que será apresentado o balanço financeiro referente a 2014.

A perda de R$ 88 bilhões anunciada na semana passada levou a presidenta da República admitir e indicar, pela primeira vez, que uma possível saída de Foster da presidência da Petrobras seria inevitável. A data do anúncio oficial, entretanto, é incerta. Segundo algumas fontes ligadas à presidenta Dilma, há grande pressão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, para que a saída seja imediata.

Não há um nome definido para assumir a estatal, mas no mercado financeiro, sete executivos são apontados como possíveis candidatos.

Veja, abaixo, a lista de prováveis nomes indicados pelo mercado para substituir Graça Foster:

Rodolfo Landim tem 32 anos de experiência em petróleo, trabalhou na Petrobras por 26 anos e já foi diretor de Exploração e Produção da estatal. Presidiu, ainda, a Gaspetro e a BR Distribuidora.
Antônio Maciel Neto é presidente executivo do Grupo Caoa, conhecido por sua capacidade de reerguer empresas.
Henrique Meirelles foi presidente do Banco Central entre 2003 e 2011, e possui perfil similar ao do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, na execução "choques de gestão".
Roger Agnelli presidiu a Vale de 2001 a 2011, período em que a empresa se tornou a maior produtora mundial de minério de ferro e níquel.
Luciano Coutinho assumium em 2007, a presidência do BNDES e recebeu, em 2013, o prêmio "Person of the Year" 2013.
Alexandre Tombini é o atual presidente do Banco Central.
Nildemar Secches foi CEO da Perdigão de 1994 a 2007 e conselheiro de cinco companhias: Iochpe-Maxion, Ultrapar, WEG, Itaú Unibanco e Suzano Papel e Celulose.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.