Em Barra do Corda

Após reconstituição, polícia afirma que Júnior ou vaqueiro podem ter atirado em Nenzin

Nesta quinta e sexta, peritos fizeram a reconstituição do crime que vitimou o ex-prefeito de Barra do Corda.
Imirante.com02/03/2018 às 17h36
Após reconstituição, polícia afirma que Júnior ou vaqueiro podem ter atirado em NenzinMariano Júnior, conhecido como “Júnior de Nenzin”, um dos principais suspeitos de cometer o crime, não participou dos trabalhos. (Foto: Divulgação)

BARRA DO CORDA - As equipes da Delegacia Regional de Barra do Corda, Superintendente da Polícia Civil do Interior (SPCI), Superintendência Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) e Instituto de Criminalística e Medicina Legal (Icrim) concluíram, na tarde desta sexta-feira (2), os trabalhos de reconstituição do crime de vitimou o ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, conhecido como “Nenzin”.

Mariano Júnior, conhecido como “Júnior de Nenzin”, um dos principais suspeitos de cometer o crime, não participou dos trabalhos.

Leia também:

Filho do ex-prefeito “Nenzin” é preso suspeito de ter assassinado o pai

Filho de Nenzin depõe e nega envolvimento na morte do pai

Vaqueiro é preso, novamente, suspeito de participar da morte de Nenzin

"Júnior de Nenzin" não vai participar da reconstituição do crime

Desde a tarde dessa quinta (1º), as equipes atuavam para excluir versões incompatíveis e chegar à versão mais provável de como o crime aconteceu.

Segundo o delegado Regional de Barra do Corda, Renilto Ferreira, os trabalhos dos peritos descartaram por completo todas as alegações de Mariano Júnior, conhecido como “Júnior de Nenzin”, principal suspeito do crime.

“Chegamos à conclusão da impossibilidade da versão contada pelo Júnior, sobre horário do crime, local dos disparos e de como se deu. Todas essas versões foram desconstituídas pelas equipes que trabalharam na reconstituição e ficou evidente a presença do vaqueiro Luzivan na cena do crime”, explica o delegado.

Ainda de acordo com Renilto Ferreira, após a reconstituição a polícia analisou que tanto Júnior quanto o vaqueiro Luzivan Rodrigues da Conceição Nunes podem ter atirado em Nenzin, fato que continuará sendo investigado.

Ouça a entrevista que o delegado deu na rádio Mirante AM falando sobre o caso.

Entenda o caso

O ex-prefeito da cidade de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, foi assassinado na manhã do dia 6 de dezembro do ano passado, enquanto trafegava pela BR-226 com destino a sua fazenda.

Segundo versão inicial apresentada por seu filho, Manoel Filho, que dirigia o carro, Nenzin teria pedido para que ele parasse já que pretendia fazer necessidades fisiológicas. Nesse momento, o ex-prefeito teria sido abordado por dois homens que estariam em uma moto. Um deles atirou no pescoço do ex-prefeito. O fato ocorreu por volta das 8h30.

Só que a polícia descartou essa versão e passou a investigar Manoel Filho, chegando à conclusão de sua participação no crime, inclusive como autor dos disparos. Ele ainda tentou fugir, mas foi preso na casa de um amigo.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.