Condenação

Município de Alcântara é condenado a criar aterro sanitário

A saúde da população também está sendo prejudicada porque o lixão se encontra localizado em área habitacional.
Imirante.com / com informações do MP-MA04/10/2018 às 10h05
Município de Alcântara é condenado a criar aterro sanitárioFoi concedido prazo de 180 dias para a realização de estudos e processo licitatório. (Foto: divulgação)

ALCÂNTARA - Atendendo pedido do Ministério Público do Maranhão, contido em Ação Civil Pública, a Justiça determinou que o Município de Alcântara faça a adequação do local conhecido como Lixão do Pavão às normas ambientais e ao Código de Postura do Município.

Em caso de impossibilidade de adequação, foi determinado que a administração municipal interdite o local, implantando área de destinação e disposição ambientalmente adequadas, e promova o Plano Municipal de Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos.

Foi concedido prazo de 180 dias para a realização de estudos e processo licitatório, bem como mais 180 dias para a efetivação da decisão.

A Ação Civil foi ajuizada pelo promotor de justiça Peterson Azevedo de Abreu. Proferiu a sentença o juiz Rodrigo Otávio Terças Santos.

IRREGULARIDADES

Na manifestação do MP-MA, foi informado que o Município de Alcântara nunca construiu um aterro sanitário e nem implementou mecanismos de destinação e disposição final ambientalmente adequada, o que vem causando dano ambiental pela contaminação do solo, do ar e dos recursos hídricos subterrâneos, decorrente de depósito de lixo a céu aberto.

Foi relatado, ainda, que os resíduos sólidos da cidade de Alcântara são depositados indiscriminadamente no lixão localizado no povoado Pavão. A área é administrada pelo Município e pessoas têm livro acesso.

A saúde da população também está sendo prejudicada porque o lixão se encontra localizado em área habitacional.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.