Homicídio

ITZ: Dono de vídeo game pode ter sido vítima de acerto de contas

André de Menezes Pacheco foi assassinado a tiros, no último sábado.
Imirante Imperatriz24/07/2017 às 09h01
O crime acontceu no sábado, no Cojunto Vitória. (Divulgação /Antônio Pinheiro )

IMPERATRIZ – O oitavo homicídio do mês de julho, em Imperatriz, aconteceu no último sábado (22), no Conjunto Vitória. A vítima foi o proprietário de vídeo game, identificado como André de Menezes Pacheco, de 34 anos, que era natural de Itaquatiara (AM), e teria vindo recentemente, do Estado do Pará.

Ele foi executado a tiros, dentro de um estabelecimento, que funcionava, aparentemente como uma locadora de vídeos. As primeiras informações eram de que o crime seria latrocínio, mas “as investigações apontam para mais um acerto de contas. Após a confirmação do óbito, alguns informes preliminares se confirmaram de que ali seria um ponto de comercialização de venda de drogas”, informou o delegado regional, Eduardo Galvão.

O delegado informou, ainda, que a Polícia Civil, vai checar nesta segunda-feira, junto a Secretária de Segurança Pública do Amazonas, se a identidade é realmente dele, já que ele vem de outro Estado. Um dos pontos que chamou a atenção foi que a primeira via do documento de identidade foi emitida em 2012.

“Não sabemos em que circunstância ele veio para Imperatriz, mas no local, há indícios fortíssimos de ponto de comercialização de drogas. Foram apreendidos uma balança de precisão e dinheiro trocado”, ressalta Eduardo Galvão, que completa. “Não se sabe se foi um mero acerto ou se foi uma tentativa de subtrair qualquer tipo de drogas que tivesse naquele local. Mas não há dúvidas de que a motivação é um acerto por tráfico de drogas”.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2017 - Todos os direitos reservados.