Artigo

Flexibilizar uso de máscara é mais uma prova do negacionismo de Bolsonaro

A vacinação, apesar do ritmo constante, não tem avançado como deveria, e num país de mais de 200 milhões de habitantes, aplicar 1 milhão de doses por dia é muito pouco, ou quase nada.
Gilberto Léda / Editoria de Política 11/06/2021 às 16h19
Flexibilizar uso de máscara é mais uma prova do negacionismo de BolsonaroPresidente Jair Bolsonaro (sem partido). (Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil)

SÃO LUÍS - É assombrosa, para se dizer o mínimo, a ideia - ainda que apenas uma cogitação - do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de liberar do uso de máscaras pessoas vacinadas ou que já tenham contraído a Covid-19.

A vacinação, apesar do ritmo constante, não tem avançado como deveria, e num país de mais de 200 milhões de habitantes, aplicar 1 milhão de doses por dia é muito pouco, ou quase nada.

Não há, portanto, nada que justifique se pensar em relaxar, pelo menos por ora, aquela que parece ser a segunda mais eficaz medida contra o novo coronavírus: o uso de máscaras.

Aos defensores da proposta, que têm citado casos como o de Nova York, por exemplo, um dado: o estado norteamericano só flexibilizou o uso das máscaras quando já registrava 60% da sua população adulta com pelo menos uma dose de imunizante tomada.

Os totalmente imunizados já chegavam a quase 50% quando isso ocorreu por lá.

No Brasil, segundo dados do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), atualizados até a noite de quinta-feira, 10, apenas 25,3% da população já tomaram uma dose de vacina. E ínfimos 11,1% receberam as duas doses.

Querer desobrigar o uso das máscaras agora é apenas mais um ato a confirmar o negacionaismo do atual comando do governo federal.

Menos mal que a proposta do presidente ainda foi submetida ao Ministério da Saúde a quem, no fim das contas, caberá a emissão de um parecer sobre o assunto.

Ainda há uma esperança de coerência…

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.