Narcotráfico

Bando é preso com arsenal de armas e drogas na área Itaqui-Bacanga

Criminosos podem ter participado armados de manifestação na Vila Embratel.
Imirante, com informações da Rádio Mirante AM27/06/2013 às 09h17

SÃO LUÍS - Investigadores do Departamento de Narcóticos (Denarc) efetuaram a prisão de Antônio Luís Mendes Machado, 21 anos. Ele havia sido preso por envolvimento na morte do investigador da Polícia Civil, Cristiano Azevedo, fato ocorrido no dia 17 de outubro de 2012. Na ocasião, o policial passava por uma rua do bairro Sá Viana e foi alvejado com uma bala perdida disparada durante uma disputa entre grupos rivais naquela região. Na época, ele ainda foi preso, mas foi liberado pela Justiça.

“Estamos tirando de circulação mais um perigoso traficante. Ele, além do tráfico, é envolvido com homicídios. Em relação aos atos de vandalismo durante o protesto, conseguimos identificar que Antônio estava armado e atirando pedras, causando confusão na região”, ressaltou Aluisio Mendes.

O secretário de Segurança comentou ainda que o grupo de traficante comandado por Antonio, utiliza crianças e adolescentes para vender entorpecentes. Além disso, a polícia descobriu que o bando cobrava pedágio de moradores. Na ação dois adolescentes também foram apreendidos.

Durante as investigações, o delegado Claudio Mendes, que coordenou a operação em São Luís, disse que com a prisão de Antonio, outros integrantes da quadrilha também já foram identificados. “Conseguimos desarticular uma quadrilha de alta periculosidade. Já identificamos como parte do bando o Jardel Serra Rocha e o comparsa identificado como apenas Erivelton, que conseguiram fugir durante a ação policial. Nossas equipes estão no encalço dos suspeitos”, detalhou o titular do Denarc comentando ainda que vai solicitar a prisão dos foragidos junto à Justiça.

Antonio foi detido em quarto de uma quitinete, localizada na 2ª Travessa, na Rua 6 de Abril, na Vila Embratel.No local foram apreendidos um quilo de crack, quatro armas, sendo dois revolveres calibre 38, uma pistola PT 40 e uma espingarda calibre 12; oitenta e cinco munições dos calibres 44, 45 e 12 e ainda dois coletes balísticos de uma empresa privada de segurança e um giro flex, que de acordo com a polícia, era utilizado para se assemelhar a uma viatura policial.

“Nossas investigações serão cada mais vez mais voltadas para identificar e prender os líderes do trafico no estado. Queremos que os suspeitos possam permanecer durante muito tempo detido para que a população tenha mais tranqüilidade, pois sempre que são colocados em liberdade pela Justiça, voltam a cometer os mesmos crimes”,pontuou a delegada geral, Maria Cristina Resende.

Participaram da ação, ainda, policiais do Grupo de Resposta Tática (GRT), da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) e investigadores da Delegacia Geral de Polícia Civil.

Foto: Jacelena Dourado / Imirante.com

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.