Cidades | Vacinas atrasadas

Multivacinação: 225.781 crianças e adolescentes devem ser imunizados

De acordo com a Semus, todas as vacinas têm procura baixa da população e estão com cobertura abaixo de 50%; primeiro dia de Campanha Nacional de Multivacinação em São Luís tem movimentação tímida
Bárbara Lauria / O Estado02/10/2021
Multivacinação: 225.781 crianças e adolescentes devem ser imunizados Campanha Nacional de Multivacinação tem início em postos de São Luís ocorrerá até o fim do mês de outubro para atualização vacinal (Matheus Soares / O Estado)

São Luís – Começou nesta sexta-feira (1º), a Campanha Nacional de Multivacinação, que tem o objetivo de ampliar o acesso às vacinas que fazem parte do Calendário Nacional de Vacinação da Criança e do Adolescente, e, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Semus), 225.781 pessoas estão convocadas, considerando a faixa etária da campanha, para a atualização da carteira de vacinação na capital maranhense. A finalidade é atualizar a situação vacinal de crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade (até 14 anos, 11 meses e 29 dias), que tiveram as doses atrasadas, devido a Covid-19 e os protocolos de segurança.

“Vamos realizar, durante todo o mês de outubro, uma campanha de atualização vacinal em todos os postos de saúde do Município. São vacinas que estão em nossa rede de saúde o ano inteiro e que a população, caso não tenha tido acesso ou esteja em ciclo incompleto, deve procurar neste período. A Prefeitura tem trabalhado para manter toda população saudável, prevenindo casos de doenças. Por isso é importante que os pais possam levar seus filhos até uma das nossas unidades”, destaca o secretário municipal de Saúde, Joel Nunes.

Pela campanha, a Prefeitura está disponibilizando as vacinas BCG, Hepatite B, Penta, Polio, Polio oral, Polio inativada, Rotavírus, Pneumocócica 10- valente, Meningocócica C, Febre amarela, DTP, Hepatite A, Varicela, HPV quadrivalente, Difteria e tétano adulto, Tríplice viral, tetra viral, meningocócica ACWY e dTpa. Devem se vacinar crianças e jovens não imunizados ou com esquemas vacinais incompletos.

Tânia Abreu, desempregada, finalmente arranjou tempo para levar seus oito filhos para regularizar a vacina. Ela conta que acabou perdendo o prazo devido à dificuldade que possui em organizar suas crianças sozinhas entre os trabalhos. “Tenho oito filhos, e é muito difícil reunir todos e trazer eles para cá. Tanto que alguns ainda nem vacinaram, outros não tem carteira de vacinação, então acho necessário, mas um pouco complicado”, explica.

Baixa movimentação
Contudo, o primeiro dia de campanha ainda teve baixa movimentação nos postos de saúde. De acordo com a direção do Centro de Saúde do João Paulo, os dias de sexta-feira, quando começou a Campanha, possuem uma menor demanda por medo de efeitos colaterais durante o final de semana. Já o Centro de Saúde do Bairro de Fátima explicou que poucas crianças e adolescentes ainda precisavam vacinar, pois a maioria teve a carteirinha de vacinação atualizada durante a campanha contra o H1N1.

“Nós não podemos ter nossas vacinas atrasadas, principalmente as crianças, e por isso, sempre que víamos na carteirinha que haviam outras vacinas atrasadas durante a campanha da gripe, nós já vacinávamos e atualizávamos a carteirinha. Então, a maioria das crianças daqui da cidade já tá com a cobertura vacinal em dia, porque já estávamos fazendo isso”, diz Eslei Mendes, coordenadora de enfermagem do Centro de Saúde do Bairro de Fátima.

Vacinas com maior déficit
A Semus ainda destacou que todas as vacinas registram procura baixa da população e estão com coberturas abaixo de 50%, porém, as de BCG, Hepatite B e Febre Amarela estão as com maior déficit de aplicação no público. Essas vacinas contemplam doenças que já foram erradicadas no Brasil., porém, devido a redução da vacinação dos jovens, os casos voltaram a reaparecer.

SAIBA MAIS

Mais postos

Em São Luís, além dos postos de saúde municipais, o Governo do Estado disponibilizará pontos de vacinação nas Policlínicas dos bairros Cidade Operária, Vinhais e Vila Luizão, e no Hospital Genésio Rêgo e Hospital Aquiles Lisboa. As salas de imunização funcionarão de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h. Aos sábados, a vacinação pode ser realizada na Policlínica do bairro Vinhais, das 8h às 12h.

Nos demais municípios do Estado, os locais de vacinação serão administrados exclusivamente pelas gestões municipais.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte