Vida | Investimentos

Especialista dá cinco dicas para não cair em golpes financeiros

Avanço do mercado de investimentos tem aberto portas para uma série de golpistas e charlatões ganharem dinheiro com promessas irreais de retorno rápido e fácil
31/08/2021
Especialista dá cinco dicas para não cair em golpes financeirosDivulgação

A expansão do mercado de investimentos tem trazido uma série de oportunidades para os investidores brasileiros. Se antes as aplicações estavam praticamente restritas à caderneta de poupança, hoje uma série de produtos está disponível para o pequeno investidor. A possibilidade de diversificar os investimentos é apontada por especialistas como fundamental para aumentar os ganhos no longo prazo e diluir os riscos.

Contudo, o avanço deste mercado também tem aberto portas para uma série de golpistas e charlatões ganharem dinheiro com promessas irreais de retorno rápido e fácil. Recentemente, um caso em Cabo Frio (RJ) viralizou nas redes sociais. Algumas pessoas foram protestar contra uma empresa que dizia operar criptomoedas e prometia retornos de 30% ao mês, mas havia sumido com o dinheiro dos clientes. Segundo a mídia local, alguns mais exaltados estariam até armados no protesto.

Para ajudar os investidores a se livrarem de enrascadas e golpes financeiros, a especialista em investimentos da corretora Guide Investimentos, Mayra Lima, elaborou uma lista com cinco dicas práticas:

1 - Não acredite em milagres. Sempre desconfie de quem promete muito dinheiro sem esforço. Assim como na vida profissional, investir é um trabalho de longo prazo, que requer disciplina e resiliência para atingir os objetivos traçados. A menos que a pessoa dê muita sorte em um investimento super arriscado, ninguém vai ficar milionário do dia para a noite. Se nem os maiores investidores do mundo, que tem muito mais experiência e acesso a informações de bastidores, conseguem garantir uma rentabilidade alta todo mês, não faz sentido imaginar que com você será diferente. “Aqui, uma dica importante é verificar quanto a taxa de juros básica da economia brasileira, a Selic, está rendendo ao mês”, afirma Mayra. “Se o prometido estiver muito acima, alguma coisa deve estar errada”, completa.

2 - Buscar referências sobre as empresas. Antes de investir em determinada empresa ou se aconselhar financeiramente, busque referências da companhia em questão. Sites como Reclame Aqui podem ajudar nesse sentido, por reunirem avaliações de diferentes consumidores. Outra forma mais sofisticada de fazer isso é buscar informações junto aos órgãos reguladores do mercado financeiro, como o Banco Central e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que podem ser um bom caminho para checar a situação legal da empresa.

3 - Evite o efeito manada. O fato de todos os seus amigos ou familiares estarem comprando determinado ativo não significa que ele também serve para você ou que seja confiável. Ao investir, é necessário entender minimamente sobre o produto e como ele se encaixa dentro da sua estratégia. Ainda que o investimento seja consistente, não significa necessariamente que ele está enquadrado no seu perfil. Também é comum que investidores iniciantes entrem na “onda do momento” sem se dar conta dos riscos e percam dinheiro com aplicações que não têm muito mais potencial para subir.

4 - Cuidado com sinais de pirâmide. Essa questão dialoga diretamente com o que foi discutido na primeira dica. Além das promessas de ganhos irreais, as pirâmides também se caracterizam por exigirem a indicação de novas pessoas para garantir o lucro dos participantes. Na prática, é uma forma de fazer com que quem esteja na base garanta a rentabilidade de quem está no topo da estrutura. Aqui, vale ressaltar que as pirâmides financeiras são tipificadas como crimes na legislação brasileira.

5 - Não faça tudo sozinho. É um erro o investidor acreditar que precisa fazer tudo sozinho na hora de aplicar seu dinheiro. Não é realista imaginar que todo mundo terá tempo e disponibilidade para se tornar um expert num assunto com tantos detalhes. Seguindo a dica de sempre buscar referências sobre as empresas, investir com instituições reconhecidas e confiáveis pode ser um bom caminho. Checar se os profissionais em questão são certificados por instituições como CVM, Anbima e Planejar é um primeiro passo interessante. “Também não há nenhum problema em pegar dicas com quem você conhece, confia e sabe que investe há mais tempo”, afirma Mayra.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte