Cidades | cestas básicas

Maranhão será beneficiado com ajuda humanitária na pandemia

Aquisição de materiais será feita junto a estabelecimentos comerciais de pequeno porte, como forma de estimular a geração de renda regional
04/05/2021 às 17h30
Maranhão será beneficiado com ajuda humanitária na pandemia. (Divulgação)

São Luís - A VLI, companhia de soluções logísticas que opera terminais, ferrovias e portos, dará início a uma nova etapa de ajuda humanitária no país para combater os efeitos da pandemia. A ação soma, inicialmente, R$ 1,3 milhão para distribuição de cestas básicas a 30 municípios de oito estados brasileiros. As localidades, escolhidas a partir de indicadores socioeconômicos, são: Cachoeira, São Félix, Simões Filho e Alagoinhas, na Bahia; Imperatriz, Davinópolis, Porto Franco, Estreito e São Francisco do Brejão, no Maranhão; Belo Horizonte, Betim, Contagem, Santa Luzia, Divinópolis, Formiga, Uberaba, Montes Claros, Araguari, Pirapora, Patrocínio e Itaúna, em Minas Gerais; Ribeirão Preto, Campinas, Aguai, Guará e Cubatão, em São Paulo; Palmeirante, no Tocantins; Catalão, em Goiás; Barra Mansa, no Rio de Janeiro; e Barra dos Coqueiros, em Sergipe.

No total, a companhia doará 29.350 cestas básicas. A entrega será feita por meio de parcerias com instituições comunitárias, durante três meses. O prazo é para que as ONGs recebam o material, organizem cadastros e façam a entrega às pessoas necessitadas, sem geração de aglomerações. A aquisição dos insumos das cestas básicas se dará, sempre que possível, junto a estabelecimentos comerciais de pequeno porte, como forma de estimular a geração de renda nessas regiões.

“A VLI transporta anualmente milhões de toneladas de commodities que ajudam a alimentar pessoas em todo o planeta. É, portanto, simbólico para todo o nosso time contribuir no combate à fome no país neste momento. Essa é mais uma ação que demonstra o forte elo que a VLI mantém com o Brasil e com as comunidades por onde passamos”, afirma Ernesto Pousada, presidente da VLI.

A pesquisa “Efeitos da pandemia na alimentação e na situação de segurança alimentar no Brasil”, coordenada pelo Grupo de Pesquisa Alimento para a Justiça: Poder, Política e Desigualdades Alimentares na Bioeconomia, com sede na Universidade Livre de Berlim, revela que 59,3% dos brasileiros – 125,6 milhões – não comeram em quantidade e qualidade ideais desde a chegada do coronavírus ao país.

A primeira fase da ajuda humanitária da VLI voltada para o enfrentamento da pandemia ocorreu a partir de março de 2020, quando a empresa destinou R$ 7 milhões para auxiliar 26 cidades dos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Maranhão, Tocantins e Bahia.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte