Educação

Prefeitura anuncia prêmio que beneficia gestores na educação

Com 85 mil alunos, a rede municipal de ensino passará a ter a cada dois anos ação para exaltar os melhores gestores do ensino infantil e fundamental; primeira edição acontece na próxima quinta-feira

José Linhares Jr

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h18
José Cursino prevê perda de R$ 15 milhões na verba da educação em SL
José Cursino prevê perda de R$ 15 milhões na verba da educação em SL (José Cursino)

No próximo dia 10, às 18h, acontecerá a primeira edição do Prêmio “Mais Gestor”, da Prefeitura de São Luís por meio da Secretaria Municipal de Educação (SEMED). O prêmio tem como objetivo o reconhecimento de boas práticas na gestão escolar municipal na capital maranhense.

Hoje a rede municipal de ensino beneficia mais de 85 mil crianças e adolescentes divididos em 234 escolas em 7 núcleos por toda a cidade. Mais de 150 gestores decidiram participar do prêmio que deve premiar dois gestores de cada núcleo, sendo um do ensino fundamental e outro do ensino infantil.

O prêmio deverá ter edições bienais e, de acordo com o regulamento, serão identificadas boas práticas de gestão que devem ser valorizadas e divulgadas. Os gestores escolares municipais inscritos no projeto Prêmio ‘Mais Gestão’ tiveram seu trabalho avaliado por meio de coleta de dados, que considerou alguns indicadores, a exemplo dos listados acima (como limpeza e formação continuada), os quais estão ligados aos seguintes eixos: Pedagógico, Administrativo, Avaliação, e Relação Escola Comunidade.

Essa avaliação é de responsabilidade da Comissão Organizadora do Prêmio, composta por gestores administrativos da Semed, por diretores de núcleo, técnicos de acompanhamento, e equipe técnica de ensino das superintendências de Educação Infantil e Ensino Fundamental.

O Secretário Municipal de Educação, José Cursino Raposo Moreira, também membro da Comissão Organizadora do Prêmio ‘Mais Gestão’, explica que o ponto central, o foco desta iniciativa, é valorizar o servidor público municipal que está à frente, em parceria com a Semed, dos desafios diários enfrentados na gestão das escolas da Rede.

“Sinto-me imensamente feliz em fazer parte deste momento, de identificar e coroar belas iniciativas na condução do processo educacional que, na maioria das vezes, passam despercebidas. Iremos selecionar 14 gestores, mas quero aqui expressar minha gratidão e respeito ao trabalho desempenhado diariamente por todos os nossos gestores e demais educadores da Rede Municipal”, declara o titular da Semed.

A cerimônia de premiação, marcada para acontecer no Teatro Arthur Azevedo, contará com a presença do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, do Secretário Municipal de Educação, José Cursino Raposo Moreira, e da Secretária Adjunta de Ensino (SAE/Semed), Maria de Jesus Gaspar Leite, além de técnicos da Semed e gestores das escolas participantes do Prêmio ‘Mais Gestão’.

Futuro

Questionado sobre os avanços da educação municipal durante a gestão do prefeito Edivaldo Holanda Jr, o secretário José Cursino disse que a formação continuada dos professores e o esforço para manter o quadro de professores foram os grandes feitos da atual gestão.

“Hoje a Prefeitura de São Luís está realizando um convênio com a Universidade Federal do Maranhão (UFMA) que irá proporcionar 12 tipos de técnicas de ensino à distância. Algo que facilitará muito a próxima gestão. Este é um, entre vários exemplos, do compromisso da atual gestão com a qualidade do ensino”, disse Cursinho.

Ainda segundo o secretário, recentemente a Prefeitura de São Luís fez a convocação de 334 professores aprovados no último concurso público. Cursinho afirma que o déficit de professores será reduzido quase a zero após oito anos de gestão. “Um dos grandes problemas da educação municipal em todo o país é manter o número adequado de professores em sala de aula. Ao longo de oito anos podemos dizer que as medidas reduziram problemas de falta de professor quase a zero”, disse.

Apesar dos avanços e da herança positiva deixada no setor para a próxima gestão, Cursino prevê dificuldades para a próxima gestão. Segundo o secretário, as alterações do governo federal no valor anual mínimo por aluno do Fundeb deve causar problemas.

“Nossas expectativas iniciais dão conta de que a gestão deverá perder cerca de R$ 15 milhões por ano. São recursos que deverão ser repostos de alguma forma e prevejo que isso será um grande desafio para a atual gestão”, disse.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.