Geral | Dinheiro

Caixa libera R$ 1.045 do FGTS na segunda, mas apenas em aplicativo

Dinheiro só estará disponível para saques e transferências para outros bancos 30 dias depois, ou seja, a partir de 15 de julho, e de forma escalonada pelo mês de aniversário
12/06/2020
Caixa libera R$ 1.045 do FGTS na segunda, mas apenas em aplicativo (Divulgação)

BRASILIA - O governo federal liberará na segunda-feira (15) o acesso a até R$ 1.045 (valor do salário mínimo) do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para todos os trabalhadores que tenham saldo em contas ativas ou inativas no FGTS. Segundo uma fonte do governo ouvida pelo Valor Investe, no entanto, por 30 dias (de 15 de junho a 15 de julho), os R$ 36 bilhões do novo "saque emergencial" do FGTS só estarão disponíveis no aplicativo Caixa Tem, o mesmo usado por beneficiários do auxílio emergencial, aquele de R$ 600.

De acordo com essa mesma fonte, a partir de 15 de julho, o dinheiro poderá ser sacado ou transferido para outros bancos, mas com um escalonamento de datas, com base no mês de aniversário da pessoa.

Por meio do app Caixa Tem é possível fazer pagamento de contas e boletos de água, luz, telefone e cartões de crédito. A pessoa também pode emitir um cartão de débito digital, que pode ser usado para comprar em sites e aplicativos. Várias grandes lojas de departamentos já colocaram em seus sites a possibilidade de pagamento via Caixa Tem.

O dinheiro do FGTS só não estará disponível para saque em espécie a partir de segunda-feira porque não há papel moeda (leia-se notas de dinheiro) suficiente para honrar todos os saques, segundo essa fonte do governo ouvida pela Valor Investe. Isso porque ela se soma ao programa de auxílio emergencial, que inicialmente liberou três parcelas de R$ 600 para milhões de pessoas, e colocou nas mãos dos brasileiros dezenas de bilhões de reais, o que, até o início da pandemia, não era previsto.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte