Alternativo | Arte local

Três trabalhos do Maranhão selecionados em edital do Itaú Cultural

Iniciativa voltada para artes visuais selecionou fotografias de Márcio Vasconcelos, Amanda Gabrielle Mendes Nascimento e Marcelo Guimarães Rios Mendes
20/05/2020 às 13h32
Três trabalhos do Maranhão selecionados em edital do Itaú Cultural Trabalhos de Márcio Vasconcelos (Márcio Vasconcelos)

SÃO LUÍS- Amanda Gabrielle Mendes Nascimento e Márcio Vasconcelos foram os selecionados do Maranhão na categoria Produção Artes Visuais e Marcelo Guimarães Rios Mendes na categoria Série Fotográfica do edital de artes visuais da série “Arte como respiro: múltiplos editais de emergência”, do Itaú Cultural. A seleção foi divulgada nesta quarta-feira (20) no site da instituição (www.itaucultural.org.br). A iniciativa visa apoiar artistas durante o período de suspensão social.

Este é o terceiro edital da série “Arte como respiro: múltiplos editais de emergência”, e é voltado para as artes visuais, nas categorias Produção Artes Visuais e Série Fotográfica. Da primeira, foram contemplados 140 trabalhos de todos os estados do Brasil; da segunda, foram 60 de 18 estados que abrangem todas as regiões do país.

O fotógrafo maranhense Márcio Vasconcelos conta que o trabalho selecionado é um mosaico com 12 fotos da série “Deslocação”, imagens de pessoas com cabeças de boi. “Entrei na categoria em que podia inscrever apenas uma obra, então reuni imagens desta série e pedi ao Celso Borges (poeta e escritor) para escrever um texto em que aborda o conceito do trabalho que chamo também de bicho homem, pois são seres que não são nem homem nem bicho”, explica Márcio Vasconcelos.

No conjunto das duas categorias, foram selecionados 200 trabalhos que refletem e expressam como os artistas visuais vem produzindo neste período de suspensão social e como superam as limitações que o momento impõe. “Ao lançar o edital, buscamos estimular os artistas a expressarem em sua arte como seguem produzindo neste período crítico, em que têm de permanecer isolados em suas casas, e, eventualmente, quais são as suas reflexões sobre o momento”, diz Sofia Fan, gerente do Núcleo de Artes Visuais. “Recebemos trabalhos de todo o Brasil que manifestam esta realidade das mais variadas formas. Muitos trouxeram um espelhamento de sua vivência em recolhimento; outros apresentaram pesquisas que já vinham realizando e outros deram sequência à sua linha de criação”, completa ela.

Produção Artes Visuais

Conforme previsto no regulamento, a categoria Produção Artes Visuais recebeu obras realizadas na linguagem audiovisual – performances ou videoarte e trabalhos executados em outros segmentos, como pintura, gravura, escultura, desenho, colagem. Uma boa parte versa sobre temas ligados diretamente ao período de suspensão social, com um olhar muito subjetivo, mas também há obras que revelam soluções encontradas para continuar produzindo apesar do confinamento, além daqueles que optaram por inscrever trabalhos que já fazem parte de suas práticas e pesquisas recorrentes.

Série Fotográfica

Para Série Fotográfica foram inscritos conjuntos fotográficos produzidos neste período

refletindo a visão dos artistas sobre o isolamento social, a partir de sua experiência subjetiva vivida atualmente e de autoria individual. Os trabalhos recebidos trouxeram ampla diversidade de olhares, como, por exemplo, a cidade vazia ou o cotidiano dentro de casa com as famílias, amigos e, ainda, em estado de solidão.

Algumas narrativas imagéticas estamparam humor sobre a situação, outras partiram para uma série de autorretratos.

Premiação

Os trabalhos selecionados em ambas as categorias, receberão valor bruto de R$ 3 mil, cada um como remuneração pelo licenciamento dos direitos autorais da obra. Eles serão apresentados ao público de acordo com a agenda organizada pela equipe de artes visuais do Itaú Cultural dentro do prazo de até seis meses, podendo ser alterado diante do quadro social referente à pandemia ou de necessidades da própria organização. Fica a critério da instituição se a exibição será realizada em sua grade de programação virtual ou em outros canais de exibição.

Arte como respiro

Em conexão com o amplo movimento espontâneo de criação online no meio artístico, neste

momento, Arte como respiro: múltiplos editais de emergência tem a proposta de acolher e apoiar os artistas sujeitos a atuar isoladamente durante o período de suspensão social em decorrência da pandemia do Covid-19. Foi iniciado nos primeiros dias de abril com o fomento para artes cênicas, seguido de música, artes visuais, literatura e poesia surda – os dois últimos, atualmente em processo de seleção dos inscritos. A organização prevê, ainda, contemplar outras áreas de expressão artística, que estão sendo definidas.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte