Alternativo | Diálogos

Conversa sobre empoderamento de narrativas negras em destaque

Centro Cultural Vale Maranhão disponibiliza conteúdo digital sobre empoderamento de narrativas negras, com o mídia ativista Ale Santos e a pesquisadora Mundinha Araújo
Com informações de assessoria12/05/2020
Conversa sobre empoderamento de narrativas negras em destaqueAle Santos e Mundinha Araújo (Divulgação)

SÃO LUÍS- O Centro Cultural Vale Maranhão completou em abril três anos de atividades e criou o selo CCVM Digital para facilitar o acesso a diversos conteúdos de sua programação, compartilhando de forma mais intensa com o público que segue em isolamento social para evitar o contágio pelo COVID19. Durante este período, a cada semana o selo CCVM Digital destaca nas redes sociais um novo conteúdo, contando um pouco sobre ele e apresentando o link para acesso direto ao canal do CCVM no YouTube. A Conversa Aberta: Empoderamento de Narrativas Negras, com Ale Santos e Mundinha Araújo, composta por 6 vídeos, registros deste encontro, é o mais recente conteúdo disponibilizado.

Ale Santos é escritor, roteirista, especialista em games e mídia ativista. Ele é também colunista da Vice e foi eleito Top Voice no Linkedin. Usa as mídias digitais para combater o racismo, narrando importantes momentos da história do povo negro, dentro e fora do país, como ferramenta de conscientização e desconstrução de mitos. Autor de ficção científica afroamericana, recentemente lançou o conto Cangoma e o livro Rastros de Resistência, que reúne e aprofunda as histórias contadas em suas sequências no twitter, que já alcançaram literalmente milhões de pessoas. Mundinha Araújo, pesquisadora maranhense, é autora de trabalhos referenciais, como a pesquisa sobre as comunidades quilombolas de Alcântara, realizada na década de 1980; o livro sobre a figura emblemática de Negro Cosme (2008) e mais recentemente o trabalho sobre a comerciante atacadista da praça de São Luís (século XIX), Catarina Mina, dentre outros. Mundinha é uma das fundadoras do Centro de Cultura Negra (1979) e dirigiu o Arquivo Público do Maranhão por muitos anos. Tem uma contribuição importantíssima para a história do Maranhão e do país.

Esta Conversa Aberta é composta pelos vídeos: Como se desenvolve um autor negro?; Como era, não ficou. E como está não ficará; Histórias de dor e de heroísmo; Aquilombar-se; A luta econômica e o espaço cultural do negro e Visões do público. Todos disponíveis em: youtube.com/centroculturalvalemaranhao

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte