Cidades | Obra

Reforma do Terminal da Praia Grande segue a passos lentos

Duas plataformas estão interditadas por decisão judicial, com problemas estruturais; obra teve início em outubro, com previsão de conclusão para o fim de dezembro
Ismael Araújo / O Estado21/11/2019
Reforma do Terminal da Praia Grande  segue a passos lentosObra tem continuidade, mas a quantidade reduzida de trabalhadores chama atenção; serviço deve ser concluído até o fim de dezembro (De Jesus / O ESTADO)

A reforma do Terminal da Praia Grande, em São Luís acontece a passos lentos. A obra acontece por determinação judicial, iniciada no dia 26 do mês de outubro, e o término previsto para o dia 20 de dezembro deste ano. Também por determinação do Poder Judiciário as plataformas três e quatro do terminal continuam interditadas até a conclusão do trabalho estrutural.
No período da manhã de quarta-feira, 20, somente três operários estavam trabalhando na reforma. Um deles pintava uma das colunas de sustentação do telhado.

Muitas pessoas se aglomeravam ao longo das outras plataformas no guardo do coletivo. A estudante Maria Cristina Almeida, de 18 anos, disse que ficou complicado esperar ônibus no terminal sem as demais plataformas. “Mesmo tendo as placas indicativas, o usuário fica confuso e há muita gente em uma mesma parada”, comentou a estudante.

O vendedor Marcelo Rodrigo, de 39 anos, que antes vendia o seu produto na parte interna do terminal, contou que os vendedores ambulantes tiveram o acesso proibido a este local há uma semana. “Não disseram para nenhum vendedor de onde partiu a ordem para não deixarem mais a gente vender os nossos produtos dentro do terminal”, reclamou.

Outro vendedor ambulante, Gilsivan Castro, de 33 anos, disse que vendia o seu produto há 10 anos na parte interna do terminal e observa diariamente pouca movimentação de operários na obra. “Existem poucos trabalhadores no serviço da reforma do terminal, mas falam que vão concluir até o final do mês de dezembro”, declarou o vendedor.

O Consórcio Taguatur Ratrans/Consórcio Central, que é responsável pela administração do Terminal da Integração da Beira-Mar, informou, por meio de nota, que as obras estão seguindo o cronograma programado e, semanalmente, o andamento dos serviços está sendo informado e acompanhado pelo Poder Judiciário.

Decisão
No dia 25 do mês passado, o juiz Douglas de Melo Martins, da Vara de Interesses Difusos e Coletivos, determinou ao Consórcio Taguatur Ratrans/Consórcio Central que interditasse, imediatamente, as plataformas 3 e 4 do Terminal de Integração da Praia Grande como também iniciasse a reforma em um prazo de 24 horas e concluísse antes do período chuvoso.

Além disso, o magistrado pede que relatório fotográfico do andamento das obras seja anexado ao processo. O juiz também notificou o Consórcio Central para que esteja ciente da possibilidade de responsabilidade criminal e cível por eventual desabamento e incêndio no Terminal da Praia Grande, nos termos do Código Penal Brasileiro (CPB).

Douglas Martins, no dia 24 do mês passado, acompanhou uma vistoria no terminal feita pelo engenheiro civil Roberlan Almeida. No decorrer da visita técnica, o engenheiro constatou nas plataformas um e dois problemas relacionados à má conservação e patologias nas vigas, calhas, pilares e consoles, tais como fissuras e trincas, assim como corrosão em algumas partes.

Em relação às plataformas três e quatro, o engenheiro deixou claro que as condições estruturais são de péssima conservação, com avançado grau de deterioração e patologias críticas nas vigas, calhas, pilares e consoles. Assim como nas outras duas, ele também constatou fissuras, trincas, desplacamento de concreto e corrosão das armaduras.

FIQUE SABENDO

O Terminal da Praia Grande foi inaugurado no dia 8 de agosto de 1996 e vem sendo alvo de reclamação há alguns anos devido às condições em que se encontra, com buracos na entrada e na área interna. Uma das plataformas, inclusive, esteve interditada durante vários meses para reparos, o que levou a administração a fazer modificações nas guias, acrescentando linhas em guias. Isso levou à formação de pequenos engarrafamentos dentro do próprio terminal.
Em julho deste ano, um grupo de usuários do transporte público realizou um protesto nos dois pontos de acesso ao Terminal de Integração da Praia Grande. Os manifestantes impediram a entrada e saída de ônibus, o que gerou um longo congestionamento. Eles reivindicavam vários itens, incluindo melhorias na estrutura do terminal, acessibilidade e renovação da frota de ônibus.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte