Cidades | Exame Nacional

Segundo dia de provas do Enem é marcado por correria de alunos

Faltando poucos minutos para o fechamento dos portões, vários candidatos se atrasaram e não conseguiram entrar; ontem foram aplicadas provas de Ciências da Natureza e suas Tecnologias/Matemática e suas Tecnologias
11/11/2019
Segundo dia de provas do Enem é marcado por correria de alunosCandidatos entram na Universidade Ceuma, um dos locais de prova da segunda etapa do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) (De Jesus / O ESTADO)

Foi realizada, neste domingo, 10, a segunda etapa do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), com aplicação das provas para Ciências da Natureza e suas Tecnologias/Matemática e suas Tecnologias. Na Região Metropolitana de São Luís, houve muita correria de candidatos quando faltavam poucos minutos para o fechamento dos portões. Vários inscritos não entraram porque esqueceram um documento de identificação original, oficial e com foto.

Nesta segunda etapa de provas, a exemplo da primeira fase, os portões foram abertos às 12h e o fechamento ocorreu às 13h. As questões só puderam ser respondidas às 13h30. Diferentemente do primeiro dia, o término das provas ocorreu às 18h30.

Antes das 11h da manhã, já havia uma concentração de pessoas na entrada dos locais de prova. Os conhecidos como “adiantados”, geralmente, residem em bairros distantes dos pontos onde iriam fazer o Enem. Na entrada da Universidade Ceuma, Campus Renascença, em São Luís, a aposentada Maria Gonçala Costa Ferreira, de 67 anos, levou a filha, Evelly Regina Melônio, 17. Elas chegaram ao prédio universitário por volta das 10h30.

“A minha filha quer fazer Física. Ela estudou bastante durante o ano. Como moramos longe, saímos cedo de casa, para não ter desculpa de ter perdido a prova por causa de atraso”, explicou Maria Gonçala, que reside no Cumbique, município de Raposa. Quase no mesmo horário, a evangélica Emília Cândida, 62, que é técnica em Meio Ambiente, chegou ao mesmo local com sua filha, Sara Cardozo Martins, que ainda não se decidiu sobre qual curso fazer.

Segundo Emília Cândida, após a prova, as duas iriam direto para um culto evangélico, na Assembleia de Deus do Cohatrac, onde residem. “Vamos agradecer a Deus por tudo. Independente de resultado, o Senhora sabe o que faz. Ele é a nossa grande fonte de esperança, de fé”, comentou ela.

Candidatos se atrasaram e perderam as provas na capital

Faltando cinco minutos para o fechamento do portão na Universidade Ceuma, quando o vigilante já se articulava para o procedimento, houve uma intensa correria. Um rapaz, no desespero, quase pulou a catraca, pensando que não daria tempo. Um grupo de jovens que vendia água na calçada do Campus corria junto com os candidatos, impulsionando-os para que não chegassem atrasados, ou seja, depois das 13h.

Pontualmente, às 13h, o vigilante fechou o portão da Universidade Ceuma. Após esse tempo, ainda chegaram seis candidatos, que não puderam entrar.

Uma mulher não conseguiu correr porque sofre de asma. Ela ainda sentiu um mal-estar e recebeu um copo d’água, e foi colocada devagar para se sentar, para restabelecer a respiração.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte