Cidades | Evento internacional

Pesquisadores do Maranhão participam de feira tecnológica

17 estudantes de cinco escolas de Imperatriz/MA participam na 34ª Mostratec em Novo Hamburgo (RS), considerada a maior feira de ciência e tecnologia da América Latina para jovens cientistas do ensino infantil, fundamental, médio e técnico de todo o país
23/10/2019 às 17h58
Pesquisadores do Maranhão participam de feira tecnológica Evento acontece até amanhã em Novo Hamburgo (Divulgação)

Dezessete alunos de cinco escolas de Imperatriz representam o Maranhão na 34ª Mostratec – Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia, que ocorrerá em Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul, no Centro de Eventos da FENAC, até amahhã (24), das 13h30 às 21h, com entrada franca. O evento, considerado o maior do gênero na América Latina, terá representantes de 20 países e de todos os estados brasileiros. A Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, organizadora do evento, estima receber mais de 30 mil visitantes nos três dias do evento.

Os alunos Leonardo Palheta Carvalho Teixeira, Gabriel Marinho de Serpa Gonçalves e Artur de Melo Rodrigues, da Escola Santa Teresinha, trazem uma pesquisa que tem como objetivo desenvolver um aplicativo que informa sobre doenças relacionadas à medula óssea e incentiva o cadastro no banco de medula, facilitando o encontro de doadores compatíveis. O aplicativo, chamado ADMO (Auxílio à Doação de Medula Óssea), será disponibilizado para smartphones, tablets e computadores. O projeto, que parte de uma pesquisa sobre doação de medula óssea existente desde 2016, informa, por exemplo, cidades e endereços de banco de sangue no Brasil e orientações de como ser um doador.

O aplicativo foi publicado no sistema operacional Android neste ano e aguarda liberação do sistema IOS. A pesquisa desenvolve-se na busca por aumentar cada vez mais a visibilidade do aplicativo para auxiliar efetivamente doentes hematológicos que aguardam na fila de transplante. Já as alunas do Colégio Militar Tiradentes II Jhessily Lomany Arantes e Ana Beatriz Leal de Santana têm um projeto de sintetizar um tipo de plástico de origem orgânica a partir de fontes naturais e renováveis.

O chamado bioplástico degrada-se entre 6 a 12 meses, ao contrário do plástico de origem petroquímica, que leva de 100 a 400 anos para ser incorporado ao meio ambiente. A produção do material advém de uma prática sustentável e ecologicamente correta, pois ele é sintetizado a partir do amido extraído da contra-casca da macaxeira, produto abundante no Brasil e no Maranhão. Ao utilizar resíduos orgânicos, os alunos chegaram a um produto semelhante ao plástico advindo do petróleo, mas sem aditivos químicos maléficos à saúde humana.

Jovens cientistas
A Mostratec reúne jovens cientistas de todos os estados brasileiros e do Distrito Federal. Nesta edição da feira serão apresentados 755 projetos divididos entre 420 na Mostratec com estudantes do Ensino Médio e Técnico e 335 na Mostratec Júnior, divididos em alunos do Ensino Fundamental com 263 projetos e da Educação Infantil com 72 projetos. Além do Brasil, participam estudantes de 20 países: Argentina, Bielorrússia, Bósnia e Herzegovina, Cazaquistão, Chile, China, Colômbia, Equador, Espanha, Estados Unidos, Itália, México, Paraguai, Peru, Portugal, Rússia, Taiwan, Tunísia, Turquia e Ucrânia. Paralelamente, o Seminário Internacional de Educação Tecnológica (Siet), os Jogos Mostratec, a Corrida Mostratec – Feevale – Sesc e o Festival Maker e Mostratec de Robótica.

Os Prêmios e Incentivos Educacionais estão sendo oferecidos por 36 organizações, estimados em mais de R$ 1 milhão. osa Unesco.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte