ANIVERSÁRIO

Igreja Batista Nacional celebra 40 anos de atividades em SL

Neste fim de semana, dezenas de carros percorreram as principais avenidas da cidade durante a Grande Carreata; IBN realiza, durante todo o mês, uma vasta programação

MONALISA BENAVENUTO / O ESTADO

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h22
Apresentação de membros mirins da IBN, na Avenida Litorânea
Apresentação de membros mirins da IBN, na Avenida Litorânea (IBN)

A Igreja Batista Nacional (IBN) chegou a São Luís em 1972 como uma ramificação da então matriz Igreja Batista Missionária de Belém. A emancipação veio em dois anos depois, em outubro de 1979, quando, efetivamente, nasceu na capital maranhense. Para comemorar a data que, neste ano, completa quatro décadas da instituição, atualmente sediada à Rua Bom Milagre, no Monte Castelo, a IBN realiza, durante todo o mês, uma vasta programação de atividades, shows e fé. Sábado, 12, uma carreata mobilizou a comunidade evangélica da sede da igreja até a Avenida Litorânea, onde as celebrações continuaram.

A Igreja Batista Nacional de São Luís tornou-se reconhecida, na década de 90, pelo louvor, que atraia jovens de diversas denominações aos seus cultos, tornando a IBN um celeiro de pastores, missionários e levitas, hoje espalhados pela Grande Ilha, abrindo trabalhos em todos os bairros da cidade.

Instigados pela fé, centenas de congregados à instituição fizeram parte do segundo fim de semana de celebração dos 40 anos da igreja, marcado por uma grande carreata. Saindo da sede por volta das 16h, o comboio, composto por cerca de 50 veículos, percorreu as principais avenidas da cidade em direção à Avenida Litorânea, onde os fiéis reuniram-se em torno de um grande palco para celebrar a Deus, com a presença do cantor Dedê Junior, Tribo do Funk, ambos de Brasília e, ainda, banda Forró
Fogo e Glória.

Para o pastor Marcus Lima, congregado à IBS desde 2001, as singularidades da instituição é o que explica o legado alcançado nestes 40 anos de atuação na capital. “Eu conheço a Assembleia de Deus, a Presbiteriana, mas o jeito como a Igreja Batista atua, a questão da liberdade individual, a autonomia, a liturgia do culto, é algo que nos cativa diariamente. Não importa o estado, a cidade, na Igreja Batista me sinto em casa. É uma sensação muito peculiar, pautada, principalmente, na individualidade garantida a cada crente. Ninguém determina como devemos nos vestir ou nos portar. É por meio do conhecimento da palavra, do Evangelho que cada um decide a melhor forma de viver. Isso conquista novos irmãos”, esclareceu.

Ao longo dos 40 anos, as especificidades cativam, homens, mulheres, jovens e famílias inteiras, como contou a pastora Mara Rúbia Moura. “Eu cheguei aqui em 2001 e meus filhos congregaram aqui, cresceram aqui e hoje tem ministérios aqui. Fazer parte dos 40 anos dessa igreja, pára mim, é um privilégio, porque até aqui o Senhor tem nos ajudado e nos conduzido em um caminho de verdade, em um caminho que podemos dizer que tudo foi bem”, declarou.

Para as próximas décadas, a expectativa é expandir a congregação e levar a palavra de Cristo a mais pessoas, como destacou o pastor Lima. “Esperamos que o Espírito Santo continue conduzindo a igreja dEle. A igreja é do Senhor e a gente sabe que ele é que faz a obra. Paulo diz que ‘eu plantei, Apolo regou, mas é Deus quem dá o crescimento’, então a expectativa é que Deus continue fazendo e aumentando a obra e que Ele nos abençoe com mais 40 anos”, frisou.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.