Cidades | Atenção na orla

Grande fluxo de pessoas na Litorânea deixa PM e bombeiros mais atentos

Orla de São Luís fica movimentada durante este período, com a redução de chuvas na Grande Ilha; principal foco dos bombeiros é o trabalho preventivo para evitar as ocorrências de grande vulto, principalmente afogamentos na praia
Ismael Araújo / O Estado31/08/2019
Grande fluxo de pessoas na Litorânea deixa PM e bombeiros mais atentosPolícia Militar intensifica ações na área da Litorânea, com o começo do período seco, quando há mais movimento (Paulo Soares / O Estado)

Com a redução das chuvas na Gran­de Ilha, no segundo semestre do ano, aumenta o fluxo de pessoas na orla, principalmente na Avenida Litorânea. Para evitar ocorrências de grande vulto, como arrombamentos, assaltos, homicídios, afogamento e até mesmo acidentes de trânsito, a Polícia Militar e os integrantes do Corpo de Bombeiros Militar acabam tendo uma atenção redobrada nessa localidade.

O policiamento ostensivo dessa área é feito pelo Batalhão de Polícia Militar de Turismo (BPTur), co­mo ainda conta com o apoio das outras unidades da corporação militar, inclusive, do Batalhão de Choque, do 8º Batalhão e do Batalhão de Policiamento Rodoviária (BPRv). O comandante do BPTur, coronel Honório Carvalho, disse que o trabalho de segurança na Avenida Litorânea foi intensificado desde o mês passado, com as férias escolares, e o principal tipo de ocorrência é o crime de furto.

Ainda de acordo com o coronel, no momento, essa área da cidade conta com duas viaturas da corporação militar circulando durante 24 horas e a presença de policiais, circulando de bicicleta ao longo do trecho da avenida, além de militares fazendo o patrulhamento na areia da praia. Por turno de trabalho, há mais de 30 militares fazendo o serviço de segurança. “É um pon­to turístico da cidade. Então, requer uma atenção redobrada”, comentou o coronel.

Ele informou que somente durante o primeiro semestre deste ano os integrantes do BPTur realizaram 31.379 abordagens na cidade, nove armas de fogo foram retiradas das mãos de criminosos, 69 prisões em flagrantes, como ainda já foram registradas 556 ocorrências e lavrado um montante de 43 Termos Circunstancias de Ocorrência (TCO).

Trânsito
O trânsito dessa localidade é controlado, além dos agentes da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), também pela equipe do BPRv. O subcomandante do batalhão, tenente-coronel Rômulo, informou que as blitze da operação Lei Seca foram intensificadas, principalmente, nessa área da cidade.

Ele ainda frisou que, no decorrer deste fim de semana, os militares estarão na avenida fazendo o trabalho preventivo e repressivo. “As viaturas do batalhão circulam pela Litorânea diariamente, com o objetivo de evitar ocorrências de grande vulto, e um deles acidentes de trânsito”, disse o tenente-coronel.

Mar
Na Litorânea, há o Batalhão de Bombeiros Marítimos (BBMar), comandado pelo major Munilso Ro­cha. Ele declarou que o batalhão conta com o trabalho de mais de 60 bombeiros, entre mergulhadores, salva-vidas, operador de embarcação e socorristas, e um dos principais focos é o trabalho preventivo para evitar as ocorrências de grandes vultos, principalmente afogamentos na praia. “Temos mais de 20 quilômetros de área para observar, então, o trabalho de prevenção é de suma importância”, esclareceu o major.

Ele ainda informou que os bombeiros estão a todo instante mantendo contato e passando dicas de segurança para os banhistas omo ainda sendo treinados para agirem sempre com eficiência e eficaz. Ainda na sexta-feira, 30, os bombeiros passaram por treinamento aquático, que ocorreu na praia de São Marcos.

O major também comentou que os dados da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa) revelam que há 16 registros de mortes por afogamento por dia no país, enquanto, na capital maranhense, geralmente, são três casos por ano.

Ele disse que no decorrer do primeiro semestre deste ano a equipe do BBMar já fez 9.883 abordagens nas praias da capital e, no ano passado, um montante de 7.200. Em relação a resgates no mar, um total de 26 e cinco casos de atendimentos a banhistas atingidos por água-viva.

Munilso também alertou que as crianças devem ficar a todo instante sob os olhares de uma pessoa adulta na orla marítima e somente neste ano já houve o registro de nove casos de menores de idade perdidos na praia. “Crianças devem está 100% sob os cuidados de uma pessoa adulta na praia, principalmente, quando estão no mar”, alertou o major.

Frequentadores
Paulo Henrique Lopes, de 51 anos, disse que diariamente anda de bicicleta pela orla marítima da capital maranhense e até o momento ainda não foi vítima de assalto. “Observo de fato a presença da polícia na Litorânea e em diversos pontos”, afirmou o ciclista.

A vendedora de coco Maria de Nazaré dos Santos, de 25 anos, ressaltou que há seis meses não ouviu o comentário de casos de latrocínio na Litorânea e apenas registros de furtos e perdas de celulares, co­mo também de documentos pessoais.

O funcionário público Júlio Fontoura, de 59 anos, comentou que caminha todas as manhãs por esse local da cidade e nunca presenciou casos de roubos, mas teve o amigo, nome não revelado, que foi morto durante um acidente de trânsito, ocorrido nas proximidades da Pra­ça do Pescador, há dois anos.


SAIBA MAIS

De acordo com os dados do SEMA divulgados no último dia 28 somente seis pontos da orla marítima da capital estão próprias para o banho. Entre eles, três na praia de São Marcos (em frente ao bar do Chef, Marlene e Batalhão de Bombeiros Marítimos); um na praia do Calhau (em frente a elevatória II da Caema) e dois na praia do Meio (bar da Capiau e da Praia).

DICAS DE SEGURANÇA

Polícia Militar: Não faça caminhada sozinho; não ande em local de área de matagal; esteja sempre onde há presença de militares e sob o monitoramento do sistema de videomonitoramento; caso ingerir bebida alcoólica, não dirija.

Corpo de Bombeiros Militar: Caso ingerir bebida alcoólica, não entre no mar; evite banhar em local de grande profundidade; tenha sempre contato com o salva-vidas; não tenha contato com água-viva; crianças sempre acompanhadas dos pais ou de uma pessoa adulta e tenha conhecimento sobre as condições do mar.

Números

31.379 abordagens feitas pelo BPTur durante o primeiro semestre deste ano na cidade
9.883 abordagens realizadas pelo BBMar no decorrer deste ano nas praias da capital

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte