Cidades | São Luís

Feirantes cobram melhorias na estrutura de vendas na área do João Paulo

Trabalhadores alegam que falta de espaço e ausência de manutenção da cobertura da feira prejudicam vendas; obras estão no cronograma da Semapa
Thiago Bastos / O Estado 30/07/2019
Feirantes cobram melhorias na estrutura de vendas na área do João PauloFeirantes aguardam uma reforma que possa resolver os muitos problemas do mercado do João Paulo (De Jesus / O ESTADO)

Os feirantes que comercializam seus produtos na feira do João Pau­lo – em especial os produtos do gênero alimentício e artigos eletrônicos – reclamam da falta de espaço e ausência de manutenção da cobertura do mercado, no bairro. Para eles, a área restrita disponível nos arredores do espaço de vendas é insuficiente e prejudica os negócios. Procurada por O Estado, a Prefeitura de São Luís – por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa) – informou que a recuperação da Feira do João Paulo está “no organograma” previsto de obras. No entanto, até o momento, não há prazo para o início dos serviços.

Enquanto os reparos não começam, os vendedores tentam driblar – segundo eles – a ausência de condições ideais de venda com o bom atendimento e oferta de preços mais atrativos. Segundo Fábio Lopes, feirante do João Paulo há mais de duas décadas, o poder público precisa, de forma urgente, destinar um local próprio para as vendas. “É urgente isso aqui. A gente não tem mais para onde ir”, disse.

Ele, que monta diariamente sua banca de frutas e verduras na Rua do Projeto, ao lado da feira do João Paulo, relembrou as promessas feitas pelo Município no início deste ano. “Tivemos uma reunião com o pessoal da Prefeitura justamente para falar sobre nossa situação. Se não me engano foi em fevereiro, e desde então não recebemos mais nenhuma informação”, disse.
Outros trabalhadores alegam que houve um encontro entre Prefeitura e feirantes na semana passada.

Outro feirante, João da Silva – conhecido na feira como “Peixinho” – disse que há um movimento interno para que outros comerciantes, como ele, se mudem da Rua Projetada para outra área. “Aqui, eu sei que não dá mais para a gente ficar. E se a gente não fizer alguma coisa, pelo jeito, a Prefeitura [de São Luís] não fará”, afirmou.

Em junho de 2017, em continuidade ao trabalho de disciplinamento nas vias de acesso aos mercados municipais da capital, a Prefeitura de São Luís realocou as barracas que ocupavam, de acordo com o Município, indevidamente o espaço público. À época, a Prefeitura não informou detalhes da reforma da feira.

Segundo apurou O Estado, está em andamento a elaboração de um amplo projeto pelo Município de recuperação das feiras e mercados da cidade, incluindo o João Paulo. Os valores seriam em parceria com o Governo do Maranhão. O anúncio destes reparos deve ser feito até o fim deste ano.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte