OPERAÇÃO

Operação Rodovida da PRF vai fiscalizar BRs até fevereiro no MA

Com o fim de ano, os números de acidentes nas rodoviais federais aumentam consideravelmente; de janeiro a outubro deste ano, o estado registrou mais de mil acidentes

IGOR LINHARES / O ESTADO

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h27

Com o fim do ano se aproximando, a Polícia Rodoviária Federal (PRF), regional Maranhão, deflagrou, na manhã de ontem (17), o início da Operação Rodovida, que acontece anualmente, desde 2011, e tem por objetivo intensificar a fiscalização, a fim de intervir em ocorrências, uma vez que, durante esta época, entre os meses de dezembro, janeiro e fevereiro, a taxa de acidentes e mortes no trânsito são alarmantes. Durante o período da operação no ano passado, a PRF no Maranhão registrou 14% de redução nas ocorrências, porém, a taxa ainda atingiu 1.579 acidentes. De janeiro a outubro deste ano, foram 1.038.

Criada em 2011, a Operação Integrada Rodovida é uma ação do governo federal, capitaneada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio da PRF, em integração com os Ministérios das Cidades, da Saúde e dos Transportes, Portos e Aviação Civil e tem por objetivo promover ações para o enfrentamento à violência no trânsito nas rodovias de todo o país, haja vista que a operação se dá durante o mesmo período, entre janeiro e fevereiro, épocas de fim de ano, férias escolas e Carnaval, em todo o Brasil.

De acordo com a PRF – regional MA, o estado tem duas principais rodoviais federais em que a ocorrência de acidentes é mais frequentes, como as BRs 135 – que dá acesso à capital maranhense e Região Metropolitana – e 316, que liga as regiões Norte e Nordeste do país e também é uma das que registram o maior número de acidentes fatais no Maranhão.

“A explicação [com relação à BR – 135] é muito simples. Não é porque tem mais curvas sinuosas ou características afins, mas porque liga grandes cidades, como a capital. A saída de São Luís está entre os 100 trechos mais críticos do Brasil, com muitos registros de acidentes de grandes e pequenas proporções”, explicou o assessor de comunicação da PRF – regional MA,
Antonio Noberto.

“Já a rodovia com maior letalidade [no Maranhão] é a BR-316, que liga a Região Amazônica ao Nordeste do Brasil, além de unir muitas cidades, ter um intenso fluxo de veículos entre motocicletas e caminhões e por se tratar de uma rodovia que liga a região produtora do país”, completou Noberto.

A operação integrada a outros órgãos ligados, diretamente, ao trânsito, vai atuar nas rodoviais e dentro das cidades, utilizando de etilômetro e bafômetro, realizando, ainda, apreensões de veículos – em casos suspeitos –, com o objetivo primordial de reduzir não só o número de acidentes, mas também a criminalidade e proporcionar, ademais, ganhos efetivos para a sociedade, como afirmou o assessor de comunicação da PRF – regional MA.

SAIBA MAIS

Principais dados
- Cerca de 1,25 milhão de pessoas morrem a cada ano em decorrência de acidentes de trânsito;
- Acidentes de trânsito são a principal causa de morte entre jovens de 15 e 29 anos;
- 90% das mortes no trânsito ocorrem em países de baixa e média renda, que detêm apenas metade dos veículos do mundo;
- Metade das pessoas que morrem nas vias, em nível global, são “usuários vulneráveis de vias públicas”: pedestres, ciclistas e motociclistas;
- Caso medidas não sejam aplicadas, os acidentes de trânsito devem se tornar a 7ª principal causa de morte em 2030;
- A Agenda para o Desenvolvimento Sustentável 2030 determinou um ambicioso objetivo de segurança viária: reduzir pela metade o número global de mortes e lesões causadas por acidentes de trânsito até 2020;

Números de 2017
Acidentes - 1.579
Feridos
Total - 1.487
Feridos leves - 952
Feridos graves - 535
Mortes
Registros - 244

Números de 2018 (jan/out)
Acidentes - 1.038

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.