Economia | Polo energético

Estado reúne potencial para ser grande gerador de energia

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica, o Maranhão possui matriz energética diversificada, aliada à robustez da infraestrutura de sistema de transmissão existente, com importantes sistemas em 230 e 500 kV
Ribamar Cunha/Subeditor de Economia27/10/2018

MARANHÃO - Com capacidade atual instalada de 3.815 MW, o que representa 2,37% da geração de energia elétrica no Brasil, o Maranhão, por possuir uma matriz energética diversificada - hidráulica, termelétrica, eólica e solar, reúne todas as condições para se tornar um dos maiores estados geradores no país, de acordo com avaliação do diretor da Agência Na­cional de Energia Elétrica (Aneel), Sandoval Feitosa.
“O Maranhão é uma grande fronteira de energias renováveis, sendo um dos mais completos sob a perspectiva dessas fontes, com destaque para a geração hidrelétrica, eólica, solar e também termelétrica a partir do gás natural”, ressaltou o diretor da Aneel.
E para dar suporte a todo esse potencial, o estado conta com uma robusta infraestrutura de sistema de transmissão existente, com importantes sistemas em 230 e 500 kV que permitem destacada relevância sob o ponto de vista elétrico-energético. Atualmente, existem 30 linhas de transmissão que cortam o Maranhão, totalizando uma extensão de 4.154 km. “Essa atual malha permite escoar uma maior quantidade de geração de energia”, afirmou Sandoval Feitosa.
Considerando que a energia elétrica é vetor de desenvolvimento, o Maranhão precisa avançar mais em investimentos nesse setor, diante do potencial que possui, a exemplo da energia solar fotovoltaica que tem muito a ser explorada, especialmen­te na região leste, na divisa com o estado do Piauí, com a instalação de grandes usinas solares.
Apesar de o Maranhão possuir taxas de irradiação solar em elevados níveis, o estado é apenas o 18º colocado no país em geração distribuída no país, com potência instalada de somente 5MW, quando estados vizinhos como o Ceará (6º) e Piauí (14º), apresentam capacidade instalada de 20,1 MW e 7,7 MW, respectivamente.
Segundo a Agêcia Internacional para Energias Renováveis (Irena), é possível a geração de 25 a 30 empregos diretos a cada MW nas áreas de instalação, fabricação, vendas e distribuição e desenvolvimento de projetos.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte