Esporte | Futebol internacional

Firmino admite medo de ter ficado cego após dedada no olho

Em entrevista ao canal Sky Sports, o brasileiro admitiu que teve medo de ficar cego após a dedada de Vertonghen, mas reforçou o fato de já estar recuperado
Gazetapress07/10/2018 às 07h00
Firmino admite medo de ter ficado cego após dedada no olhoFirmino levou uma dedada no olho esquerdo, no jogo do Liverpool contra o Tottenham (FIRMINO OLHO)

LIVERPOOL - No dia 15 de setembro, o atacante Roberto Firmino levou uma dedada no olho esquerdo, no jogo do Liverpool contra o Tottenham. Porém, o exame não constatou nada de grave, tanto que dias depois, entrou diante do Paris Saint-Germain para fazer o gol da vitória dos Reds. Agora, o jogador está plenamente recuperado.

Em entrevista ao canal Sky Sports, o brasileiro admitiu que teve medo de ficar cego após a dedada de Vertonghen, mas reforçou o fato de já estar recuperado.

“Eu tive medo de ficar cego de um olho e não poder ver de novo. Graças a Deus nada aconteceu e gradualmente melhorou dia após dia. Claro, ainda estou tomando remédios e cuidando. Os olhos são muito importantes para um jogador de futebol. Está tudo bem agora”, afirmou o atleta.

Firmino ainda completou reforçando o quanto ficou com medo. No entanto, o olho ainda apresenta inchaços, mas nada que o atrapalhe.

“Eu estava com medo, mas a dor passou gradualmente depois que o médico me deu um analgésico e ficou melhor. Quando o incidente aconteceu, tudo estava embaçado e eu não conseguia enxergar pelo olho esquerdo. Está muito melhor. A dor passou e eu não sinto mais nada. Ainda está um pouco vermelho, mas espero que isso passe com o tempo”, finalizou.

Dentro de campo, a equipe dirigida por Jurgen Klopp se prepara para enfrentar o Manchester City, em confronto direto pela liderança do Campeonato Inglês. A partida está marcada para este domingo às 12h30 (horário de Brasília), no Anfield Road.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte