Cidades | Desabastecido

Falta de água no João Paulo gera reclamações

Moradores da Rua Santa Izabel estão há pelo menos um mês sem o produto; manutenção no Sistema Sacavém é a causa, afirma Caema
20/07/2017

SÃO LUÍS - Moradores da Rua Santa Izabel, no João Paulo, reclamam da falta d’água na comunidade. O problema acontece há pelo menos um mês. Segundo eles, após procurarem a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema), foram informados de que o problema não tem previsão para ser resolvido. Enquanto isso, além das contas mensais cobradas pela companhia, eles têm que pagar carros-pipa para terem água em casa para seus afazeres domésticos. A Caema informou que todos os bairros abastecidos pelo Sistema Sacavém estão com o fornecimento comprometido por causa dos trabalhos de manutenção, que estão sendo realizados desde o dia 29 de junho, e que as bombas serão religadas gradativamente.

Osmarina Ribeiro de Sousa é uma das moradoras mais indignadas com a falta d’água na rua. É que na casa dela moram dois idosos, um de 94 anos e outro de 84 anos. Os dois estão doentes. Por isso, a dona de casa precisa lavar roupas todos os dias, além de dar banho nos dois. Mas sem água nas torneiras a situação em casa tem ficado cada dia mais difícil. “Eu não entendo como este sistema funciona. Na rua de trás tem água normalmente. Já na minha faz um mês que o abastecimento foi interrompido”, reclama.

A situação de Osmarina Ribeiro de Sousa é compartilhada com seus vizinhos. Rosa de Lima Leite Alves mora com mais seis pessoas na mesma casa e já se habituou à falta d’água. “Eu já aprendi a fazer o reuso da água porque, se não, a gente não consegue passar”, comenta. A água da máquina de lavar é reaproveitada para uso no vaso sanitário e lavar a casa. Ela, o marido e os netos tomam banho em bacias e a água também é reaproveitada nos banheiros. “Antes, a gente tinha água dia sim, dia não, como todo mundo. Agora, é dia não e dia não também”, disse.

Sem água, os moradores são obrigados a comprar água de carros-pipa, pagando R$ 40 por mil litros. “Acontece que a nossa rua tem a maioria de idosos como moradores e eles moram com netos e filhos, então, são casas com muitas pessoas. Mil litros de água em uma casa com seis pessoas para tomar banho, seis pessoas com roupas para lavar, cozinhar e tudo mais não dura uma semana. E a gente não tem condições de ficar comprando sempre”, afirma Rosa de Lima.

Na casa de Maria das Graças Cruz há duas caixas d’água, uma de 500 litros e outra de 1,5 mil litros, mas faz semanas que as duas não são enchidas com água das torneiras. Segunda-feira, dia 17, ela pagou R$ 60 para encher os dois reservatórios. “Consegui um desconto, porque comprei a partir de dois mil litros”, informou. Mas a água é apenas para o banho, preparo dos alimentos e atividades essenciais. “Estou com três baldes de roupas sujas, que não sei quando vou poder lavar”, comenta.

A Caema até fornece água para os moradores por meio de carros-pipa, mas o acesso ao benefício não é fácil. “Eu liguei desde segunda-feira da semana passada, ontem [terça-feira] que eles vieram. Colocaram mil litros de água na minha caixa d’água, mas mesmo economizando, não dura uma semana”, conta Rosa de Lima Leite Alves.

Ela e outros moradores já foram até a Caema, fizeram várias reclamações, mas a resposta é sempre a mesma. “Não há previsão de quando o abastecimento vai ser normalizado na nossa rua. Se fosse no bairro todo, a gente entenderia, mas tem ruas vizinhas à nossa que o abastecimento é normal”, disse.

E mesmo sem água nas torneiras as contas chegam normalmente e com valores elevados. “A minha conta de água do mês passado veio cobrando R$ 485 reais. A água não tem, mas a conta não falha”, reclama Flávia Galvão, outra moradora da Rua Santa Izabel.

A Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) informou que o abastecimento na Rua Santa Izabel foi comprometido em decorrência de problemas técnicos nas bombas do Sistema Sacavém e que o abastecimento será restabelecido tão logo finalizada a manutenção das bombas. O João Paulo é um dos mais de 60 bairros de São Luís abastecidos pelo Sistema Sacavém. Desde o dia 29 o sistema está passando por obras de manutenção que, segundo a Caema, irão melhorar o abastecimento em toda a sua área de cobertura, mas, por isso, os bairros abastecidos estão com o serviço comprometido.


SAIBA MAIS

Bairros abastecidos pelo Sistema Sacavém

Centro, São Pantaleão, Madre Deus, Goiabal, Codozinho, Vila Bessa, Belira, Lira, parte da Areinha, Macaúba, Apicum, Camboa, Vila Bangu, Diamante, Vila Passos, Coréia de Baixo, Coréia de Cima, Sítio do Meio, Alto da Boa Vista, Retiro Natal, Liberdade, Tomé de Sousa, Fé em Deus, Floresta, parte do Monte Castelo, Apeadouro, Irmãos Coragem, Bairro de Fátima, Bom Milagre, Parque Amazonas, Alemanha, Caratatiua, Vila Ivar Saldanha, Alto da Vitória, João Paulo, Jordoa, Vila Palmeira, Barreto, Túnel do Sacavém, Santa Cruz, Vera Cruz, Cutim, Radional, Coroado, Coroadinho, Vila Conceição, Bom Jesus, Vila dos Frades, Parque Timbira, Alto do Parque Timbira, Parque Pindorama, Parque dos Nobres, Conjunto São Sebastião, Bairro Primavera, Sítio do Pica Pau Amarelo, Redenção, Barés, Filipinho, Sítio Leal, Sacavém, Coheb do Sacavém, Salina do Sacavém e Santo Antônio.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte