Polícia | Na prisão

Justiça mantém prisão do bacharel em direito flagrado agredindo a mãe idosa de 84 anos

Após audiência de custódia, juíza Oriana Gomes manteve prisão de advogado Roberto Elísio Coutinho de Freitas, 51 anos
29/05/2017 às 14h54
Roberto Elísio Coutinho de Freitas, 51 anos, segue em Pedrinhas

SÃO LUÍS – Após uma audiência de custódia, realizada no Fórum Desembargador Sarney Costa, no Calhau, a juíza Oriana Gomes, da 8ª Vara Crimal, decidiu manter a prisão do advogado Roberto Elísio Coutinho de Freitas, 51 anos, acusado de agredir física e psicologicamente a mãe, Joseth Coutinho Martins de Freitas, de 84 anos de idade. As agressões foram flagradas em vídeos, que foram publicados na internet, e chocaram a população de São Luís. Uma equipe composta por policiais, assistentes sociais e psicólogos na manhã de sexta-feira (26) foi até a residência da idosa para levá-la para fazer os exames periciais. A delegada Igliana Freitas declarou que a vítima apresentava sinais de violência, principalmente na mão direita e no pescoço.

LEIA MAIS

Justiça decreta a prisão preventiva de acusado de agredir a mãe idosa em São Luís

Polícia prende homem que agrediu a própria mãe

Homem agride a própria mãe de 84 anos em São Luís; vídeo revolta população da capital

A audiência de custódia foi realizada no fim da manhã desta segunda-feira (29) e Roberto Elísio já foi levado de volta para Pedrinhas, onde se encontra desde o dia dos vazamentos dos vídeos, que aconteceram na quinta-feira da semana passada.

Roberto Elísio Coutinho sendo levado para audência de custódia

A juíza Oriana Gomes foi também responsável pela determinação da prisão do acusado na semana passada. Segundo o Ministério Público do Maranhão, a idosa está sendo assistida e acompanhada pelo Núcleo Psicossocial do Ministério Público. Após a conclusão do inquérito, o MP-MA poderá ajuizar Ação Penal contra o agressor.

Ajuda

O Disque 100, canal da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, os conselhos Estadual e Municipal de Defesa dos Direitos do Idoso, Delegacia do Idoso, Promotoria do Idoso do Ministério Público, o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e Centro Integrado de Apoio e Prevenção à Violência contra a Pessoa Idosa (Ciapvi) da Defensoria Pública do Estado (DPE/MA) são órgãos de ajuda e servem para denunciar a violência contra o idoso.

A coordenadora do Ciapvi, assistente social Isabel Lopizic, disse que o centro é onde a pessoa idosa recebe acompanhamento psicológico, com encaminhamento aos órgãos de atenção. Em casos de agressões físicas, por exemplo, o encaminhamento é feito à Delegacia do Idoso

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte