Geral | De novo?

Certame do Governo do Estado volta a ter problemas no MA

Assim como em concurso para professor, seletivo para Secretaria de Saúde tem conteúdo de provas questionado por candidatos
Oestadoma.com 04/04/2016 às 15h40
Certame do Governo do Estado volta a ter problemas no MA Mais de 83 mil compareceram aos locais das provas neste domingo (De Jesus / O Estado)

SÃO LUÍS - Mais um certame realizado pelo Governo do Estado causa problema para candidatos. Depois de várias reclamações, ações judiciais e intervenção do Ministério Público no concurso para a Secretaria de Educação, realizado em dezembro do ano passado, desta vez o problema foi com o seletivo para a área de saúde. E um dos problemas voltou a ser repetir: problemas com o conteúdo de provas especificas.

Em reportagem da TV Mirante, candidatos do seletivo, feito pela Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh), reclamam da ausência de questões especificas corretas para a área escolhida nas provas realizadas neste domingo (3). A concorrente Katiane Pinheiro afirma que, que fez a prova para motorista, pegou o conteúdo especifico para auxiliar administrativo. “Existem aqui no campo dez perguntas português, 10 raciocínio Lógico e 10 específicas. Cadê as específicas da nossa área?”, questionou ela em entrevista à TV Mirante.

Concorrente para o cargo de motorista, Cláudio Anchieta reafirmou o equívoco na avaliação. “A área que nós estávamos estudando, que a função que a gente quer exercer, não caiu nada. Caiu só na parte administrativa”, disse.

Outras reclamações foram sobre uma possível discrepância entre prova e gabarito. Os candidatos afirmam que as letras das questões não estavam batendo o gabarito. Ainda segundo eles, os fiscais chegaram a recolher as provas, chamaram a administração, mas depois informaram que não tinha jeito. Os candidatos foram informados que tinham que continuar a avaliação e, caso houvesse algum questionamento, era para ser feito um recurso.

Dos 100 mil candidatos inscritos, mais de 83 mil compareceram aos locais das provas. Alguns chegaram a abandonar o local e informaram que vão procurar a Justiça. Assim como no certame passado, o Governo do Estado afirma, por meio de nota enviada à TV Mirante, que não houve irregularidade na entrega do caderno de provas. Ainda segundo a nota, a Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (Funcab), responsável pela realização do seletivo, vai analisar possíveis recursos.

No total, foram ofertadas 7.902 vagas, distribuídas nos níveis fundamental, médio e superior. Os aprovados nos seletivos trabalharão nos hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) situados nas regionais de saúde de São Luís, Imperatriz, Codó, Presidente Dutra, Santa Inês e Timon. O seletivo foi organizado pela Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (Funcab) e foi aplicado em dois turnos.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte