Geral | Solução

Calçadas ficam mais altas para impedir alagamentos em casas

Com as intensas chuvas do sábado, moradores de alguns bairros de São Luís temeram a invasão de suas residências por água e esgoto
04/04/2016
Calçadas ficam mais altas para impedir alagamentos em casasCalçadas altas impediram o alagamento de casas no Bairro de Fátima (De Jesus / O Estado)

Choveu uma média de 34 milímetros durante todo o sábado, em São Luís, de acordo com dados do Instituto Nacional de Metrologia (Inmet). Durante a tarde, foram pelo menos seis horas de chuva ininterrupta entre as 14h e 20h. As chuvas, consideradas pelos especialistas como fortes, causaram vários transtornos a quem se aventurou sair pela cidade, ou até mesmo ficou em casa. Para tentar evitar alagamentos em suas casas, muitas pessoas já construíram calçadas altas na entrada dos imóveis.

No Bairro de Fátima, várias ruas ficaram alagadas e houve uma grande dificuldade para os moradores transitarem, seja de carro ou á pé. Na Travessa Dom Pedro II, Lucilena Fernandes, de 66 anos, e que já mora há mais de 40 na via, conta que a via sempre foi desse jeito. Toda vez que chove, a rua alaga e isso forçou os moradores a criarem um jeito de evitar que as casas fossem invadidas.

Ela mesmo ergueu sua calçada quase uns 60 centímetros acima do nível da rua e todo ano tem de fazer a manutenção. Se por um acaso isso não ocorre, pode ter certeza de que a casa vai inundar, como ocorria em anos anteriores a sua construção. “Aqui enche tudo e não tem para onde escapar. Tem casa aqui que fica só esgoto”, afirma a mulher.

Na mesma rua, Cleonice de Fátima reforça que existe outro problema, além da chuva, o esgoto. Nos dias em que dá água no bairro, um canal, que corta pelo fundo e lateral de várias casas enche e transborda. Isso porque quase todos os moradores usam o local para despejo de água servida. “Isso é um problema. Enche tudo de água e ninguém nunca fez nada para melhorar”, lembra.

No Coroadinho, a chuva também causa alagamentos e transtornos. Quem tenta se aventurar pela Avenida Bom Jesus durante as chuvas, sempre anda com água no mínimo na altura do joelho. O problema é tão grave e constante que os moradores já estão começando também a aumentar a altura das casas. Um bar, que fica na esquina com a Rua Mauro Fecury, por exemplo, está quase um metro acima do nível da rua.

Além da chuva, os moradores ainda têm de lidar constantemente com os buracos. De acordo com eles, o programa Mais Asfalto, da Prefeitura de São Luís, ainda não chegou ao local.

SAIBA MAIS

Na Estrada de Ribamar, o maior transtorno, na tarde e noite de sábado com as fortes chuvas, foi nas proximidades da ponte sobre o Rio Paciência. O córrego transbordou e invadiu toda a rodovia. Durante o tempo da chuva, e até mesmo depois, ônibus, carros, motos e pedestres ficaram impedidos de trafegar pela via. Quem tentou se aventurar, acabou ficando, na maioria das vezes, com o carro preso na água e teve que ser retirado com o guincho.

Previsão
De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia, a previsão para hoje em São Luís é de tempo nublado a encoberto, com pancadas de chuva. A temperatura mínima fica em 24° e a máxima chega a 30°. Durante o restante da semana, prevalece o tempo encoberto e as chuvas.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte