Bompreço abre nove lojas em São Luís adquiridas do Lusitana

O Estado do Maranhão

- Atualizada em 27/03/2022 às 15h29

O primeiro dia de funcionamento das novas lojas do Bompreço foi marcado por muita reclamação por parte dos consumidores em relação ao atendimento nos caixas, o que gerou filas na hora do pagamento das mercadorias. Na loja da Kennedy teve uma consumidora que perdeu a paciência e desistiu das compras, deixando o carrinho cheio de produtos no meio do estabelecimento.

As lojas do Bompreço que mais tiveram problemas com filas nas primeiras horas de abertura foram as da avenida Kennedy e do Centro, em frente à sede da Embratel, ocasionadas principalmente por número reduzido de caixas em operação, uma vez que se aguardava a liberação das máquinas por parte da Gerência da Receita Estadual. Por volta das 10h, uma funcionária da Receita Estadual dirigiu-se à loja Bompreço da Kennedy para liberar cinco caixas que estavam fora de operação.

Até então, apenas três funcionavam no atendimento ao consumidor. Além do problema inicial do número reduzido de caixas, os clientes reclamavam bastante da lentidão no atendimento. É que os ex-funcionários do Lusitana ainda estão se adaptando ao novo sistema implantado pelo Bompreço.

Outra dificuldade verificada no primeiro dia de abertura das lojas do Bompreço foi a identificação dos produtos. Boa parte dos itens não foi cadastrada no sistema, fazendo com que os operadores de caixa perdessem tempo consultando uma listagem de preços. “Muitos itens ainda não foram cadastrados”, admitiu o gerente da Divisão do Bompreço no Maranhão, Francisco Galdino, assegurando que em pouco tempo o problema será sanado.

Ele disse que tudo é uma questão de ajuste, pois em tão pouco tempo houve uma mudança de sistema - de Itautec para IBM - abrangendo 120 PDV’s, de modo a garantir a substituição do correspondente bancário (o Banco do Brasil foi substituído pelo Unibanco) e a implantação do Hipercard, cartão próprio do Bompreço.

As lojas continuam a receber os cartões da Rede Bem Card e Lusitana. Francisco Galdino informou que o sistema implantado permite às lojas adquiridas pelo Bompreço participar das promoções de Recife. A falta de promoções, na abertura das lojas, inclusive, esteve na pauta de reclamações do consumidor. “Me dirigi até a loja (Kennedy) com a expectativa de que houvesse promoções, mas só encontrei fila e preços altos”, reclamou o funcionário público José Orlando Bicharra.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.