Iterma construirá casas de alvenaria no Projeto Salangô

- Atualizada em 27/03/2022 às 15h26

Depois de transformar parte do antigo Projeto Salangô em área de assentamento irrigado, o Instituto de Colonização e Terras do Maranhão – Iterma já começa uma nova fase do trabalho. A partir de janeiro de 2003, 100 casas serão construídas para as famílias que moram no local.

A ação faz parte de um convênio assinado este ano entre o órgão estadual, a Caixa Econômica Federal e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – Incra. A parceria garante a construção de 5 mil habitações rurais completas em diversos municípios do Maranhão. As obras começarão assim que a união liberar o recurso para o projeto.

Segundo José Roberto Gonçalves Reis, presidente do Iterma, as 100 casas serão construídas em uma só etapa. “Mas além destas, estão previstas novas casas para Salangô a serem construídas em uma segunda etapa”, afirmou ele. As moradias formarão uma grande agrovila, que terá ainda uma escola, um centro comunitário, um armazém, uma usina de processamento de arroz, abastecimento d’água, energia elétrica, ruas, dentre outros projetos de infra-estrutura.

Para a gerente de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Conceição Andrade, o trabalho em conjunto será essencial para o desenvolvimento dos projetos em Salangô. “O caminho para o crescimento não será encontrado individualmente, mas na soma responsável das vontades, pessoas e entidades”, acredita ela.

As habitações rurais têm estruturas compatíveis às das casas da zona urbana. São de alvenaria, têm 28 m2 e quatro cômodos. Todas elas possuem kit sanitário e estão avaliadas em R$ 3.600.

O assentamento Salangô I, área de responsabilidade do Iterma, possui 258 hectares e fica localizado em São Mateus, município que faz parte da regional de Codó. Moram nesta área 39 famílias.

“As casas irão beneficiar não só as famílias que moram no assentamento Salangô I, mas também parte dos moradores que habitam o restante do projeto”, disse José Roberto.

Ao transformar Salangô I em área de assentamento irrigado, o Iterma deu o primeiro passo para a inclusão de políticas públicas no local. “O mais importante é que agora toda essa área será explorada pelos trabalhadores rurais”, explicou José Roberto. O antigo projeto previa que Salangô seria um espaço de exploração para grandes empresários do ramo agropecuário.

O projeto de Habitação Rural, desenvolvido pelo Iterma, está contemplando este ano 36 assentamentos no Maranhão. Já para o ano que vem, o número de beneficiados cresceu e o projeto deverá atingir 78 municípios.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.