Utilidade pública

Casa de Apoio Acolher lança aplicativo sobre prevenção do HIV/Aids e ISTs

O "XOVÊ" foi lançado em comemoração ao aniversário de um ano da instituição.
Paulo Pontes/Na Mira01/09/2019 às 13h47
Lançamento do aplicativo "XOVÊ", idealizado pela Casa de Apoio Acolher. (Foto: Paulo Pontes/Imirante.com)

SÃO LUÍS - Nessa sexta-feira (30), a Casa de Apoio Acolher, em comemoração ao aniversário de um ano da instituição, lançou o aplicativo "XOVÊ" em uma cerimônia, no auditório do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Maranhão (Hemomar), no bairro da Jordoa. Nessa ferramenta, as pessoas encontrarão perguntas, respostas e orientações sobre doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), além de locais, em São Luís, onde pode ser feito o tratamento dessas enfermidades.

Casa Acolher

A Casa de Apoio Acolher, localizada na Rua Muniz Barreiro, no bairro da Jordoa, é fruto do trabalho do Grupo de Ação pela Solidariedade Humana (GASH). O local foi criado para receber diariamente pessoas e seus acompanhantes do Maranhão, que vivem e convivem com DSTs, incluindo Aids, e que realizam Tratamento Fora do Domicílio (TFD).

Paulo Ribeiro, coordenador da Casa de Apoio Acolher, diz que a casa de apoio abriu as portas no ano passado e, no momento, consegue dar suporte, principalmente, para aqueles soropositivos provenientes do interior do estado, que se deslocam para São Luís, com o propósito de fazer tratamento, no Hospital Presidente Vargas, localizado nas proximidades da casa. “As pessoas soropositivas, agora, têm um espaço de estadia e podem fazer as suas refeições”, afirmou Ribeiro.

A instituição é mantida com as contribuições dos próprios voluntários e doações feitas por pessoas e entidades. A casa, que é de rotatividade, ou seja, não há dormitórios, também dá apoio jurídico e social de forma gratuita, e recebe diariamente de 20 a 25 pessoas.

Bonecas Acolher

A instituição não recebe ajuda financeira do poder público e de nenhuma empresa privada. A comercialização das "Bonecas Acolher" ou dos "Bonecos Fuxicos", fabricados no local pelos voluntários, são o único meio para o pagamento das despesas da casa. Para produção, o projeto recebe diariamente retalhos doados por malharias. As bonecas, confeccionadas por fuxicos e lã, têm três modelos: negra, parda e branca. O material, que é totalmente sustentável, é vendido em um shopping da capital por R$ 20,00.

As "Bonecas Acolher" são fabricadas pelos voluntários dentro da própria instituição. (Foto: Paulo Soares/O Estado)

Lançamento do aplicativo "XOVÊ"

O "Xovê", desenvolvido em parceria com a empresa paulista Metasix, foi idealizado pela Casa Acolher. Foram oito meses de produção e finalização do aplicativo. A ferramenta já está disponível para download em smartphones com sistema operacional Android, por meio da loja de aplicativos Play Store.

Através do aplicativo, a população agora pode acessar informações como, o grau de risco de contrair o vírus HIV e ISTs, orientações sobre a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) e a Profilaxia Pós Exposição (PEP), testagem, acesso aos pontos de distribuição de preservativos masculinos e femininos, entre outros serviços.

Leia outras notícias em PortalNamira.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.