Exagerei, e agora?

Comeu mais do que devia nas festas de final de ano? Especialista dá dicas de como lidar com a situação

O exagero pode trazer consequências para a saúde.

Divulgação / assessoria

- Atualizada em 26/03/2022 às 18h44
Se o exagero alimentar foi pontual, não há motivos para complicações e o corpo vai se recuperar logo, afirma especialista.
Se o exagero alimentar foi pontual, não há motivos para complicações e o corpo vai se recuperar logo, afirma especialista. (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - Não dá para negar: as festas de final de ano são sinônimo de confraternização entre família, amigos e muita comilança. Mas quando acaba a temporada de comemorações e o novo ano se inicia, quem exagerou na comida ou na bebida acaba tendo que lidar com problemas de saúde. Inchaço, azia, refluxos, ressaca ou até mesmo intoxicação alimentar são algumas das visitas indesejadas que, se você não tomar cuidado, podem aparecer logo no primeiro dia de 2022. Afinal, quais as consequências do exagero e como podemos prevenir essas complicações?

A endocrinologista Fernanda Máximo explica que a retenção de líquidos, popularmente conhecida como inchaço, acontece sempre que o corpo ingere quantidades muito altas de sódio – presente em alimentos como refrigerantes e ultraprocessados, por exemplo. “A pessoa também pode sentir azia e refluxos porque, se você come muito, o corpo precisa aumentar a produção de ácido para ajudar na digestão”, explica.

Já ficou com sono após uma refeição muito grande? A ciência também explica. É que o excesso de carboidrato deixa o corpo fatigado. Mas a pior consequência de todas é uma intoxicação alimentar. Por isso, a endocrinologista recomenda sempre observar a procedência e as condições de armazenagem dos alimentos, especialmente das refeições compradas prontas. “Sintomas como diarreia, desconforto abdominal, náuseas, vômitos ou até desidratação podem privar alguém da oportunidade de aproveitar um momento especial com a família”, alerta a médica.

Recuperação

“Após o exagero, o ideal é voltar à rotina alimentar de antes”, orientou Fernanda. Segundo a endocrinologista, a melhor solução são refeições leves, à base de alimentos integrais, legumes, verduras e frutas de baixo índice glicêmico. A ingestão de água é outro ponto importantíssimo. “Se possível, é bom retomar a rotina de exercícios físicos, que são fundamentais para o corpo recuperar a energia”, complementou.

A médica esclarece ainda que se o exagero alimentar foi pontual, não há motivos para complicações e o corpo vai se recuperar logo, logo. A chave, diz ela, é sempre a moderação. “Antes de comer, observe todas as opções disponíveis e só depois escolha o que vai provar”, orienta.

A ideia é evitar a armadilha de comer ‘um pouquinho de cada coisa da mesa’, preferindo, em vez disso, observar o ponto de saciedade e escolher porções dos três principais grupos alimentares – carboidratos, gorduras e proteínas. “Comer é bom e nunca deve deixar de ser um prazer na sua vida. Pode comer rabanada e panetone sem culpa e sem exagero, mas não se esqueça de que é preciso moderar de acordo com a sua situação de saúde”, concluiu a profissional.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.