Deu match

Por sexo casual com brasileira, Bolt fez até a ''pose do raio''

Estudante revela detalhes de sexo com o jamaicano: "tudo foi muito quente"
Paulo de Tarso Jr. e Gustavo Sampaio / Na Mira24/08/2016 às 09h45

Os detalhes do affair entre Usain Bolt e a estudante carioca Jady Duarte, de 20 anos, foram revelados pelo jornal britânico Daily Mail nessa terça-feira (23). A própria morena contou o que rolou entre ela e o velocista jamaicano no último fim de semana. Teve olhares na boate, passadinha de mão na barriga, “jogo duro”, sexo ao som da música "Work", da cantora Rihanna, e claro, a “pose do raio”. Esta última cena foi o verdadeiro passaporte para a diversão no quarto de Bolt na Vila Olímpica.

Na festa onde se conheceram, Bolt dançava, se divertia e se exibia. Na pista de dança, levantou a camisa e mostrou os músculos para Jady. A estudante não resistiu, mesmo garantindo não saber que estava diante do homem mais rápido do planeta. "Aquilo [barriga de Bolt] é incrível. Os músculos são duros como pedra. Eu estava tão atenta ao abdômen que, a princípio, nem notei que era Usain Bolt", disse ao jornal britânico.

Após a passadinha de mão, a noite ia se encaminhando para o seu desfecho entre troca de olhares e convites feitos pelos seguranças de Bolt para Jady aproveitar o restante da festa com o jamaicano. Em uma das “investidas”, que tal visitar a Vila Olímpica? E a resposta foi não para fazer “jogo duro”. "Quis fazê-lo trabalhar", brincou.

E o “trabalho” ao qual a estudante se referiu deu finalmente frutos já na saída da boate. Bolt estava decidido a conhecer melhor a morena e interagiu pessoalmente com a moça. Após olhares intensos, o sim de Jady aconteceu graças à “pose do raio”, aquela mesma que Bolt comemora suas conquistas nas pistas. Foi irresistível, confessa a garota. "Finalmente não tive dúvidas de que ele era ele. Foi quando decidi que era hora de me entregar. Ele me puxou do táxi e me deu um beijo incrível".

Dali, os dois foram para a Vila Olímpica. A estudante entrou com Bolt sem nenhum problema apesar de que o local era aberto a visitas até as 21h. "Não me pediram nenhum passe ou identificação. E nem o questionaram, porque era o Bolt".

Ao chegarem ao quarto, a química rolou de vez. Mesmo sem falar inglês, Jady sabia o que o jamaicano queria. E, quando ele colocou para tocar a música "Work", da cantora Rihanna, o sexo então rolou, e não foi rapidinho.

"Eu não precisava de tradutor para saber que ele queria transar comigo. Acho que ele gosta de transar ouvindo esse som. Tudo foi muito quente e cheio de paixão. Nós 'devoramos' um ao outro. Ele tem um corpo de campeão, mas suas 'partes de homem' são como as de um homem normal. Esperava que fosse rápido, mas na verdade foi o sexo mais longo que tive em toda a vida. Fizemos por cerca de 40 minutos, depois ele tomou um tempo e fizemos tudo de novo".

E a jovem completa. "Ele se recupera rápido, mas não tivemos um 'terceiro tempo'".

Leia outras notícias em PortalNamira.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.