Educa Mais Brasil

Volta às aulas com preços acessíveis inclui bolsas de estudo e pesquisa de material

Programa educacional tem mais de 300 mil bolsas de estudo para a educação básica em 2019.
Tunísia Cores / Educa Mais Brasil14/01/2019 às 19h50
Volta às aulas com preços acessíveis inclui bolsas de estudo e pesquisa de materialAs matrículas para o ano letivo de 2019 já estão abertas nas escolas brasileiras. (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - Segundo o Censo da Educação Básica 2017, divulgado no ano passado, o Brasil tinha 48,6 milhões de estudantes. Cerca de 8,9 milhões estavam matriculados em escolar particulares, com 4,2 milhões apenas na região Sudeste do país. Se, nos meses de dezembro e janeiro, o clima é de férias para os alunos, a dinâmica é diferente para os pais. É hora de pensar nos itens necessários a volta às aulas.

Em meio à correria da compra do material escolar, a matrícula nas escolas pode ser considerada a principal prioridade dos pais, que precisam avaliar os gastos mensais recorrentes. No Brasil, a Lei nº 9.780 de 1999 estabelece as regras para a fixação do valor total das anuidades escolares e determina que as escolas esclareçam como é feito o cálculo do reajuste.

A norma determina ainda que o valor das anuidades deve ser contratado no momento da matrícula ou da renovação do vínculo contratual, mas não há a fixação do percentual de reajuste ou do valor máximo a ser cobrado pelas instituições de ensino. Com isto, os pais podem buscar bolsas de estudo que garantem até 50% de desconto na mensalidade dos filhos (saiba mais abaixo).

Materiais escolares

Segundo o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV/IBRE), os itens que integram a lista de materiais escolares sofreram reajuste médio de 1,02% para o ano letivo de 2019. Em relação aos livros, a variação foi de 0,5% entre os didáticos e 0,46% entre os não-didáticos, em relação ao ano anterior.

Com a alta dos preços, pesquisar antecipadamente os materiais pode ser fundamental para economizar e não desequilibrar o orçamento familiar. Uma dica é buscar feiras de livro, que podem ser facilitadas pelas escolas ou organizadas pelos próprios pais, que trocam e vendem livros entre si. A negociação pela internet também pode ser considerada e, às vezes, permite a redução dos gastos em até 50%.

No período, é importante estar atento aos item exigidos pelas escolas, já que nem todos são de uso individual e, por tanto, nem sempre podem ser solicitados. Entre eles, estão os papel higiênico, álcool hidrogenado, álcool em gel, canetas para quadro branco e magnético, giz branco ou colorido, e outros. A escola também não pode recomendar marcas, nem determinar as lojas onde serão feitas as compras já que cabe aos pais a decisão.

Desconto nas mensalidades

As matrículas para o ano letivo de 2019 já estão abertas nas escolas brasileiras. Considerado referência em educação, Educa Mais Brasil oferta mais de 300 mil bolsas para a educação básica em todas as regiões do país. Em mais de 15 anos, o número de pessoas beneficiadas já ultrapassou 900 mil em todos os níveis educacionais: educação superior, cursos técnicos e profissionalizantes, cursos pré-vestibular e pré-Enem, entre outros.

Além do percentual de desconto, é importante que os pais conheçam a estrutura das escolas e avaliem qual instituição está mais adequada ao perfil dos filhos. A contratação do benefício pode ser feita diretamente no site www.educamaisbrasil.com.br, onde estão listadas as escolas parcerias e os municípios com oportunidades disponíveis.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.