Prisão

Homem e adolescente são apreendidos por assassinato de jovem autista em São Luís

Alison David foi encontrado morto com sinais de tortura no bairro São Raimundo.

Imirante.com

- Atualizada em 20/10/2023 às 09h49
Alison David Barbosa da Cruz tinha 20 anos e foi morto após desaparecer no bairro São Raimundo. (Foto: Arquivo pessoal)

SÃO LUÍS - Dois suspeitos de participação no assassinato do jovem Alison David Barbosa da Cruz, ocorrido no início de setembro, em São Luís, foram detidos pela Polícia Civil do Maranhão. Alison David, que tinha diagnóstico de autismo, retardo mental e fobia social, desapareceu e foi encontrado morto com sinais de tortura no bairro São Raimundo.

Leia também:

Jovem desaparecido é encontrado morto e com sinais de tortura em São Luís

Polícia alega que jovem autista que desapareceu em São Luís foi morto por morar em bairro diferente de facção

De acordo com informações da Polícia Civil, o primeiro homem detido é um homem conhecido como "Neto", em cumprimento a um mandado de prisão temporária no último domingo (1º). Já na segunda-feira (2), um adolescente de 15 anos, conhecido como "Alminha", foi apreendido em cumprimento a um mandado de internação.

Em depoimento na Superintendência Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (SHPP), o homem e o adolescente confessaram participação no assassinato de Alison David, junto com outros dois suspeitos que estão sendo procurados pela polícia. O grupo é acusado de ter matado o jovem a pauladas.

As investigações apontam que Alison David foi morto no São Raimundo, por morar em um bairro que seria controlado por uma facção rival. Mesmo sem participar de uma organização criminosa e ter histórico de crimes, o jovem acabou sentenciado à morte pelos criminosos.

O crime

Alison David Barbosa da Cruz saiu de casa com dois irmãos para a Expoema, na noite do dia 6 de setembro. Na volta para casa, entretanto, o jovem se perdeu dos familiares e desapareceu no bairro São Raimundo. Alisson só foi encontrado quase dois dias depois, morto e com sinais de tortura.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram, TikTok e canal no Whatsapp. Curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.