2 de novembro

Cemitérios são preparados para receber os visitantes no Dia de Finados no Maranhão

Os locais já estão sendo preparados para receber os visitantes, que irão prestar suas homenagens aos entes queridos que já partiram.

Imirante.com

- Atualizada em 26/03/2022 às 19h15
Neste dia 2 de novembro, milhares de católicos em todo o mundo vão aos cemitérios e igrejas homenagear os entes que já morreram, para rezar e oferecer flores e velas a parentes ou amigos. (Foto: Paulo Soares / O ESTADO)

SÃO LUÍS - Nesta terça-feira (2), quando é lembrado o Dia dos Finados, deve haver intensa movimentação nos cemitérios do Maranhão. Os locais já estão sendo preparados para receber os visitantes, que irão prestar suas homenagens aos entes queridos que já partiram.

Leia também:

Saiba o que abre e o que fecha em São Luís na terça-feira, Dia de Finados

Dia de Finados: como a pandemia abalou o processo de luto

Segundo a Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh), em São Luís, os cemitérios públicos irão funcionar em horário especial, das 6h às 18h. A extensão do horário de visitação é uma forma de evitar que os locais tenham aglomeração.

Ainda de acordo com a Semurh, por causa da pandemia da Covid-19, os visitantes devem seguir os protocolos de segurança, por isso, nos cemitérios haverá o uso obrigatório de máscara, sanitização das mãos com álcool 70% e distanciamento mínimo de um metro.

São Luís possui nove cemitérios públicos - Gavião, Vila Embratel, Anjo da Guarda, Vila Maranhão, Santa Bárbara, São Cristóvão, Tibiri, Turu e Maiobão, que fica no município de Paço do Lumiar, na Região Metropolitana de São Luís.

A origem da tradição do Dia de Finados

Neste dia 2 de novembro, milhares de católicos em todo o mundo vão aos cemitérios e igrejas homenagear os entes que já morreram, para rezar e oferecer flores e velas a parentes ou amigos. A data sucede o Dia de Todos os Santos, comemorado do dia 1º de novembro, que celebra todos os que morreram em estado de graça e não foram canonizados. O Dia de Finados celebra àqueles que morreram e não são lembrados na oração do Dia de Todos os Santos.

A data só foi instituída no início do século XIV. Mas, na verdade, a história mostra que o Dia de Finados começou a ser celebrado pela Igreja Católica no fim do século X, na Bélgica. Os cristãos, durante muito tempo, não se relacionavam com os mortos. Com a fusão da Igreja ao Estado romano, os cristãos acabaram adotando alguns costumes e crenças de vários povos, entre eles o de rezar e se comunicar com os seus antepassados mortos.

No Brasil, assim como na grande parte dos países, a celebração tem início na semana anterior, com a limpeza dos cemitérios e sepulturas. No Dia de Finados, as pessoas vão aos cemitérios levar flores, acender velas e rezar pelos seus entes queridos. A vela, para os católicos, tem o significado simbólico da busca pela celebração, com o propósito de perpetuar a luz do falecido.

O dia 2 de novembro é feriado em diversos países em respeito aos mortos e às lembranças deles, e é bastante comum que os seus parentes e amigos vão ao cemitério para prestar homenagens, seja com orações ou com flores. Na capital maranhense o costume também é esse.

As orações, cânticos e rituais religiosos feitos diante das lápides remontam às tradições do Império Romano, na qual os cristãos rezavam pelos seus mortos, em especial pelos mártires, nas catacumbas subterrâneas de Roma. A tradição se perpetuou e se mantém até hoje.

Além das idas aos cemitérios, também é comum, em São Luís, a celebração de missas especiais em homenagem aos mortos. É um dia de introspecção e lembrança de todos as pessoas próximas que já partiram deste mundo.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram, TikTok e canal no Whatsapp. Curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.