Em Barra do Corda

Suspeitos de envolvimento na morte de sargento da PM em emboscada são mortos durante troca de tiros com a polícia

O caso envolvendo o sargento, que morreu carbonizado, aconteceu no dia 10 de novembro deste ano.

Imirante.com

- Atualizada em 07/12/2023 às 18h23
A troca de tiros aconteceu durante uma operação das policias Militar e Civil para cumprir mandados de prisão. (divulgação / Polícia Civil)

BARRA DO CORDA - Uma dupla suspeita de participar do crime que resultou na morte de um sargento da Polícia Militar do Maranhão (PM-MA), em Barra do Corda, morreu durante uma troca de tiros em uma operação das policias Militar e Civil realizada nesta quinta-feira (7).

O caso envolvendo o sargento, que morreu carbonizado, aconteceu no dia 10 de novembro deste ano. Os posseiros foram identificados como Adonias Fernandes da Silva, de 38 anos, que seria, segundo a Polícia Civil, líder dos posseiros armados e Francisco Pereira da Silva Filho, o "Pilica", de 32 anos.

Leia também:

Suspeitos de milícia, PMs caem em emboscada e um morre carbonizado em Barra do Corda

Identificados suspeitos de emboscada contra policiais que resultou em morte de sargento no MA 

A troca de tiros aconteceu durante uma operação das policias Militar e Civil para cumprir mandados de prisão contra posseiros armados suspeitos de participar da morte do sargento Walmir da PMMA. Os mandados de prisão haviam sido expedidos pela Comarca de Barra do Corda (MA).

De acordo com a polícia, haviam mandados de prisão expedidos contra os dois suspeitos, e eles foram localizados no mesmo local onde o corpo do sargento foi carbonizado em um veículo. Adonias Fernandes e Francisco Pereira da Silva foram surpreendidos pelos policiais, reagiram e houve troca de tiros. Eles foram atingidos e acabaram morrendo.

"Eles prontamente reagiram contra os policiais, que se defenderam e que acabou resultando na morte de dois pistoleiros, posseiros que ocupavam este local", explicou o delegado Daniel Antunes, da Regional de Barra do Corda.

Com a dupla, a polícia apreendeu armas de fogo, dentre elas, uma que pertencia ao sargento que foi morto. De acordo com o delegado Daniel Antunes, a Polícia Civil vai continuar investigando o caso para tentar localizar os demais suspeitos de participar do crime.

Sobre o crime

A polícia do 5º Batalhão de Polícia Militar de Barra do Corda recebeu informações de tiros na área de mata após a Vila Real, no município. A guarnição foi ao local e constatou a presença de policiais armados, à paisana, que tinham caído em uma emboscada. No local, havia ainda três caminhonetes.

O sargento Walmir, do 5º BPM, morreu carbonizado no veículo incendiado. Outros dois policiais que foram baleados nesta emboscada estão no hospital. 

Sargento Walmir morreu na emboscada em Barra do Corda. (Foto: Arquivo)

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) disse que não compactua com desvio de conduta dos agentes das forças e segurança e que vai atuar com rigor na apuração do caso. Foi enviado à região reforço policial para dar celeridade nas investigações. Leia:

"A Secretaria de Segurança Pública determinou às Policiais Civil e Militar imediata apuração do ocorrido, bem como as providências necessárias.

Nove policiais foram autuados em flagrante delito pelo crime de formação de milícias, sendo oito policiais militares e um policial penal. Desses, seis encontram-se recolhidos ao quartel de Barra do Corda e serão transferidos posteriormente para o quartel do Comando Geral em São Luís. Em razão das lesões sofridas, dois policiais militares foram levados para hospital e tão logo tenham alta médica também serão recolhidos ao quartel. O policial penal foi levado para o presídio da região. Ainda como resultado da ação, um policial foi morto.

Para agilizar as investigações, ainda na noite de sexta foram enviados reforços às polícias Civil e Militar para a região onde os fatos aconteceram. Uma equipe do Instituto de Criminalística (Icrim) também foi encaminhada ao local para a realização de perícia.

Por fim, a SSP destaca que não compactua com desvio de conduta dos agentes das forças e segurança e que vai atuar com rigor na apuração dos fatos, tanto no inquérito policial como por meio de procedimento administrativo instaurado pelo comando da Polícia Militar".

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram, TikTok e canal no Whatsapp. Curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.