Reajuste de combustíveis ⛽

Motoristas fazem filas em postos de São Luís antes do aumento de preço

Com o reajuste, que entra em vigor a partir desta quarta-feira (16), o litro da gasolina terá uma alta de R$ 0,41.

Imirnte.com, com informações da TV Mirante

- Atualizada em 15/08/2023 às 21h42
 O aumento é de cerca de 16%.  Foto: Aderson Amaral/Grupo Mirante

SÃO LUÍS - Na noite desta terça-feira (15) motoristas de São Luís formaram filas para abastecer nos postos da cidade antes do reajuste nos preços da gasolina e do diesel. O aumento foi anunciado pela Petrobras nesta terça.

Com o reajuste, que entra em vigor a partir desta quarta-feira (16), o litro da gasolina terá uma alta de R$ 0,41, chegando a R$ 2,93. Já o litro do diesel vai subir R$ 0,78, passando a R$ 3,80.

Leia também:

Petrobras aumenta gasolina em 16% e diesel em 25% nas refinarias

Foto: Aderson Amaral/Grupo Mirante

Diesel 

Para o diesel, a Petrobras aumentará o preço médio de venda para as distribuidoras em R$ 0,78, chegando a R$ 3,80 por litro. O reajuste representa 26%.  

Levando em consideração a mistura obrigatória de 88% de diesel A - produzido nas refinarias - e 12% de biodiesel para a composição do diesel comercializado nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor será, em média, R$ 3,34 a cada litro. 

Foto: Werton Araújo/Grupo Mirante

No ano, o preço de venda de diesel da Petrobras para as distribuidoras acumula redução de R$ 0,69 por litro. 

A parcela da Petrobras no preço do combustível não é o valor final que o consumidor encontra nas bombas porque ainda entram no cálculo impostos e margens de lucro da distribuição e dos postos.

Nova política de preços 

A Petrobras esclareceu que a nova política de preços da empresa “incorpora parâmetros que refletem as melhores condições de refino e logística da Petrobras na sua precificação”.

Segundo a empresa, “em um primeiro momento, isso permitiu que a empresa reduzisse seus preços de gasolina e diesel e, nas últimas semanas, mitigasse os efeitos da volatilidade e da alta abrupta dos preços externos, propiciando período de estabilidade de preços aos seus clientes”. 

 A companhia ressalta que, “no entanto, a consolidação dos preços de petróleo em outro patamar, e estando a Petrobras no limite da sua otimização operacional, incluindo a realização de importações complementares, torna necessário realizar ajustes de preços para ambos os combustíveis, dentro dos parâmetros da estratégia comercial, visando reequilíbrio com o mercado e com os valores marginais para a Petrobras”. 

 Na avaliação da companhia, a nova política de preços evita repassar aos consumidores a volatilidade conjuntural do mercado internacional e da taxa de câmbio, ao mesmo tempo em que preserva um “ambiente competitivo salutar nos termos da legislação vigente”. 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram, TikTok e canal no Whatsapp. Curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.