Desvio de recurso público

Análise: mais uma operação da PF no Maranhão por desvio de verba da Saúde

Quando políticos falam que não há falta de dinheiro para a Saúde no estado, após mais uma operação, parece ser verdade que o problema é como o recurso é aplicado.

Carla Lima/Ipolítica

Nas últimas semanas, PF fez operação contra esquema de desvio de recursos da saúde que envolve municípios maranhenses (Divulgação)

SÃO LUÍS - Mais um município do Maranhão entra na lista dos que tiveram operação da Polícia Federal deflagrada devido a desvio de recursos da Saúde destinados para o combate a pandemia da Covid-19 desde 2020. 

As operações do Covidão (como ficou conhecida a força tarefa de órgãos de controle) já atingiram cerca de oito municípios maranhenses. Casos como de São Luís, a PF chegou a fazer três operações devido a desdobramentos das investigações.

Nesta quarta-feira, 19, o alvo da Polícia Federal foi a Prefeitura de Caxias, o prefeito da cidade, Fábio Gentil (Republicanos) e ainda servidores do município e empresários. Por lá, a investigação mostra que havia fraude em licitação para desvio de recursos da saúde sendo negociado até cargos na administração municipal.

A duas empresas, a Prefeitura chegou a repassar mais de R$ 9 milhões. Montante como este não é algo novo nas operações da Polícia Federal nos municípios maranhenses. A cada ação do órgão, milhões de reais foram desviados.

Assim ocorreu em cidades como Bernardo do Mearim, Santa Luzia, São Luís, Bacurituba, Bom Jesus das Selvas, Presidente Dutra e também Pinheiro. Somente na primeira operação na capital (Cobiça Fatal), por exemplo, a PF fala em desvio de mais de R$ 2 milhões.

Pelo visto, aquela máxima que muitos candidatos nas eleições deste ano disseram (de que existe recurso suficiente para melhorar a saúde pública) parece ser verdade.

Somando o dinheiro para combate a Covid e mais os repasses oriundos de emendas parlamentares vindas do orçamento secreto, prefeitos já poderiam ter melhorado a rede de saúde básica em quase todos os municípios do Maranhão.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram, TikTok e canal no Whatsapp. Curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.