Câncer de mama

Consultas preventivas referentes ao 'Outubro Rosa' serão realizadas gratuitamente neste sábado em São Luís

Atendimentos serão realizados a partir das 7h30, no Hospital do Câncer Aldenora Bello, em São Luís.

Imirante.com, com informações da assessoria

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h01
Cerca de 200 mulheres acima de 40 anos serão atendidas de forma voluntária pela equipe de mastologia do HCAB. (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - A Fundação Antonio Dino, mantenedora do Hospital do Câncer Aldenora Bello (HCAB), realizará neste sábado (16), a partir das 7h30, consultas preventivas referente à campanha 'Outubro Rosa', no próprio Hospital, situado no bairro Apeadouro, em São Luís. O atendimento visa a conscientização da população maranhense sobre a importância da prevenção, diagnóstico precoce e tratamento do câncer de mama.

Cerca de 200 mulheres acima de 40 anos serão atendidas de forma voluntária pela equipe de mastologia do HCAB sob a coordenação da mastologista Glaucia Mesquita.

Vale lembrar que este ano, em decorrência da pandemia, o lançamento da campanha ocorreu de forma intimista, com a presença da coordenadora do serviço de mastologia do HCAB, funcionários do hospital e pacientes. O objetivo da campanha é promover a conscientização da população além de incentivar o autocuidado e procurar um médico anualmente para realizar mamografia aos 40 anos.

Ainda como parte da programação de conscientização, durante todo o mês de outubro serão disponibilizadas venda de camisas da campanha onde toda a renda obtida com será destinada para compra de próteses mamárias para pacientes em atendimento no Hospital do Câncer Aldenora Bello. As camisas da campanha podem ser encontradas na sede da Fundação Antonio Dino, com um dos voluntários e através dos fones 99971.9897 ou 3089.3153.

Para a coordenadora da mastologia do Hospital do Câncer Aldenora Bello Gláucia Cordeiro, a campanha do outubro rosa é de extrema importância para a conscientização da população quanto à prevenção e a participação da sociedade como um todo nas doações para que se mantenha o recorrente sucesso das reconstruções mamárias.

"Temos nos destacado consideravelmente na realização das reconstruções aqui no Hospital. Isso graças a um incremento que só é possível com a doação da comunidade. Todos podem ajudar. Ao comprar uma camisa já ajuda na Campanha. O SUS paga uma parte da prótese, mas essa "diferença' precisa ser repassada e só conseguimos manter o serviço com o apoio da população", disse a Mastologista.

"A conscientização e prevenção precisa ser feita durante todo o ano. Precisamos diminuir essa incidência com conhecimento e prevenção", complementou. A equipe de Mastologista do HCAB é especializada em reconstrução mamária imediata o que diminui as consequências causada pelo câncer.

Outubro Rosa

A Campanha Outubro Rosa é um movimento mundial de conscientização para a prevenção e diagnostico precoce do câncer de mama, realizada durante o mês de outubro. O movimento surgiu em 1990 em Nova York com a primeira corrida pela cura, evento que se tornou anual desde então.

Em 1997, outras entidades das cidades de Yuba e Lodi, também nos Estados Unidos, começaram a promover ações voltadas ao diagnóstico e prevenção do câncer de mama, elegendo o mês de outubro como epicentro de suas atividades. A iniciativa repercutiu rapidamente, e hoje diversos países e instituições endossam e promovem criativamente a iniciativa.

No Maranhão, a Fundação Antonio Dino e o Hospital do Câncer Aldenora Bello promovem a campanha Outubro Rosa, visando a conscientização da população Maranhense sobre o câncer de mama, sua prevenção e diagnóstico precoce.

Sobre o câncer de mama no Maranhão

O câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais comum no mundo e o freqüente entre as mulheres. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), foram estimados mais de 62.280 novos casos de câncer de mama no ano de 2020, no Brasil.

A incidência do câncer de mama tem subido progressivamente nos últimos anos, e já se tornou um importante problema de saúde pública. A taxa de sobrevida em 5 anos após o câncer de mama pode chegar a 89% em países desenvolvidos. Entretanto, essa realidade é bem diferente em países menos desenvolvidos, como o Brasil, reduzindo a sobrevida em 5 anos da população mundial a 61%, devido a dificuldades para o diagnostico precoce e tratamento adequados.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram, TikTok e canal no Whatsapp. Curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.