No Maranhão

Mulher é presa suspeita de agredir os filhos com pedaço de madeira e fio elétrico

As crianças, de 8 e 11 anos, estão com familiares e contam com o acompanhamento do conselho tutelar de Grajaú, que denunciou as agressões.

Imirante Imperatriz

- Atualizada em 14/06/2023 às 19h00
Mulher usou pedaço de madeira e fio elétrico para agredir os dois filhos. (Foto: divulgação)

GRAJAÚ - Uma mulher, de identidade não revelada, foi presa em flagrante, nessa sexta-feira (26), suspeita de agredir fisicamente os dois filhos, de 8 e 11 anos de idade, respectivamente, em Grajaú, no interior do Maranhão. 

A mulher foi denunciada pelo Conselho Tutelar de Grajaú, que constatou as agressões sofridas pelas duas crianças. De acordo com a investigação, a mãe usou um pedaço de madeira e um fio elétrico para agredir os filhos. 

Uma das crianças relatou que as agressões começaram após a mãe pedir que o menino colocasse R$ 20 de crédito no celular dela e a criança ter chegado sem nenhum troco do dinheiro que ela havia entregado.

As crianças relataram que a mãe já demonstrava comportamento violento e que, por várias vezes, eles foram agredidos com murros e tapas. Ainda segundo os relatos, um deles também já teria sido violentado com um tijolo. 

De acordo com o delegado responsável pela prisão da mulher, ela vai passar por audiência de custódia. Já as crianças, estão sob os cuidados de outros familiares e seguem acompanhadas pelo Conselho Tutelar.

Outro caso

Uma mulher de 53 anos foi presa suspeita de torturar a irmã de criação, que é cadeirante. A prisão foi feita pela Polícia Civil do Maranhão (PC-MA) na quarta-feira (24), em Chapadinha, no interior do Estado. 

Segundo a polícia, denúncias revelaram que a vítima, de 36 anos, estava sofrendo agressões físicas e psicológicas. Diante disso, os investigadores se dirigiram ao local, acompanhados de conselheiros e da assistência social do município, e encontraram a mulher com inúmeras lesões corporais, que incluem cortes na cabeça e unhas arrancadas.

Unhas da vítima foram arrancadas.

De acordo com a própria vítima, ela vem sofrendo essas violências há quatro anos.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.