Investigação

Agentes penitenciários são afastados em Timon após denúncias de torturas contra detentos

Caso também segue sendo investigado, sob sigilo, pelo Ministério Público do Maranhão (MP-MA).
Imirante.com, com informações do G1-MA08/10/2020 às 16h05
Agentes penitenciários são afastados em Timon após denúncias de torturas contra detentosCaso foi registrado na Penitenciária Regional de Timon (MA). (Foto: divulgação / Governo do Maranhão)

TIMON - Os quatro agentes penitenciários que foram flagrados torturando detentos na Penitenciária Regional de Timon, cidade a 450 km de São Luís, foram afastados de suas funções pela Secretaria de Estado da Administração Penitenciária do Maranhão (Seap). A gravação de um dos vídeos, feita pelo circuito interno de segurança do presídio, traz a data como sendo em março deste ano.

Saiba mais:

Denúncias de tortura contra detentos em presídio de Timon são investigadas pelo MP-MA

A Seap afirmou que a Corregedoria da pasta também instaurou uma Investigação Preliminar Sumária (IPS) para investigar o caso. Os detentos que aparecem sendo torturados nas imagens foram ouvidos e apuração segue em curso.

Os agentes penitenciários, que não foram identificados, devem ficar afastados de suas funções até a conclusão das investigações.

O caso também segue sendo investigado, sob sigilo, pelo Ministério Público do Maranhão (MP-MA). Por meio de nota, o órgão informou que após a conclusão, as informações a respeito dos fatos serão divulgadas.

Veja o vídeo das gravações divulgado pelo G1-MA.

Entenda o caso

​Nas gravações, três detentos, em uma área comum do presídio, são agredidos por quatro agentes penitenciários encapuzados. Abaixados e sem camisa, eles são torturados com chutes e pontapés nas costas. Em outro vídeo, os presos são espancados com um cassetete e levam socos na região da cabeça.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.