Operação Fraud

Polícia Civil prende mais duas pessoas por envolvimento no "Golpe do WhatsApp"

Erick Raphael dos Reis Teixeira e Ivanilde Nogueira Amaral no povoado Água Limpa, zona rural do município de São Vicente Ferrer.
Imirante.com, com informações da Seic18/07/2018 às 20h54
 Polícia Civil prende mais duas pessoas por envolvimento no "Golpe do WhatsApp"Erick Raphael dos Reis Teixeira e Ivanilde Nogueira Amaral fazem parte do grupo que foi preso ontem em São Luís. ( Foto: Divulgação / Seic )

A Polícia Civil do Maranhão, por meio da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), em continuidade à Operação Fraud, deflagrada nessa terça, prendeu na tarde desta quarta-feira (18), Erick Raphael dos Reis Teixeira e Ivanilde Nogueira Amaral no povoado Água Limpa, zona rural de São Vicente Ferrer, interior do Estado.

Erick Raphael e Ivanilde Nogueira estavam com prisões preventivas decretadas pelos Juízos Estadual e Federal, de acordo com informações da polícia.

Leia também:

Sete pessoas são presas em SL por envolvimento no "Golpe do WhatsApp"

Golpe do falso sequestro é aplicado em secretária adjunta de saúde

A operação Fraud desmontou uma quadrilha especializada em clonar linhas de telefone móveis por meio do aplicativo Whatsapp, tendo como vítimas autoridades dos Poderes Legislativo e Executivo. O bando clonava as linhas telefônicas e solicitava empréstimos perante os contatos do titular da linha clonada. Os suspeitos clonaram os aparelhos da governadora do Estado do Paraná, Maria Aparecida Borghetti, além de vários Deputados Federais, Estaduais e Ministros de Estado, segundo informou a polícia civil.

Ainda de acordo com informações policiais, a organização criminosa aliciava laranjas para abrir contas e receber as transferências bancárias da lista de contatos das vítimas. Os golpistas se passavam pelas autoridades, alegando que tinham seu limite de transferência bancário excedido e solicitavam que a pessoa da lista de contatos da agenda telefônica fizesse uma transferência complementar para uma conta dada pelo falsário. Em alguns casos, os golpistas encaminhavam boletos a serem pagos pelas vítimas, que acreditavam está fazendo um favor para os mesmos.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2018 - Todos os direitos reservados.