Estado Maior

Bancada do Maranhão e seus posicionamentos em relação a PEC dos Precatórios

Maioria dos deputados maranhenses disseram sim para a proposta; entre os nossos senadores, dois dizem que votarão contra e um a favor
Carla Lima/Editora de Política11/11/2021 às 06h12
Bancada do Maranhão e seus posicionamentos em relação a PEC dos PrecatóriosAluisio Mendes foi um dos parlamentares que votaram sim para a PEC dos Precatórios (Foto: divulgação)

A maioria da bancada do Maranhão votou sim no segundo turno de votação da PEC dos Precatórios. Foram 12 deputados federais que concordaram com mudanças nas regras para o pagamento obrigatório por lei de quem já prestou serviços à administração pública. Somente quatro deputados maranhenses disseram não para a proposta e outros dois se ausentaram.

Mas o cenário visto na Câmara não deve se repetir no Senado quando a relação é a bancada do Maranhão. O senador do PDT, Weverton Rocha, por exemplo, anunciou que é a favor do Auxílio Brasil, mas que não vota a favor da PEC dos Precatórios.

“A forma como o governo passa as informações para a população não está correta. Fica parecendo que para pagar o Auxílio Brasil é necessário aprovar a PEC dos Precatórios. Isso não existe. A aprovação dessa PEC vai prejudicar todo mundo. Os aposentados, os professores e as pessoas que pagaram imposto a mais vão deixar de receber R$ 94 bilhões! Isso é um absurdo”, justifica o pedetista.

Outro voto contrário à proposta do Governo Bolsonaro será da senadora do Cidadania, Eliziane Gama. À coluna, ela garantiu ser conta.

Já o senador Roberto Rocha (sem partido) disse à coluna que votar contra a PEC dos Precatórios é o mesmo de votar contra o aumento do Bolsa Família. “Votar contra essa PEC é igual a votar contra o aumento do Bolsa Família para R$ 400,00”, disse o senador.

Na verdade, na prática, o Bolsa Família foi extinto, e instituído por um ano o Auxílio Brasil.


Estranho
Não deixou de chamar atenção a ausência do deputado federal Rubens Júnior (PCdoB) na votação do segundo turno da PEC dos Precatórios.

Como não se posicionou sobre a ausência, o comunista acabou deixando passar a dúvida de que ele não estaria disposto a confrontar o governo que abriu as torneiras para a aprovação da matéria.

Quem se ausentou também foi o deputado federal João Marcelo, do MDB. O emedebista não se pronunciou sobre a sua ausência em votação polêmica.


De volta
O deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) retorna oficialmente ao comando da Secretaria Estadual de Cidades nesta sexta-feira, 12.

Com isto, a previsão é de que o suplente de deputado, Gastão Vieira (ainda no Pros), retome o mandato.

Jerry decidiu retornar à Câmara dos Deputados para evitar mais um voto a favor à PEC dos Precatórios, já que Gastão Vieira votou a favor da proposta no primeiro turno.


Encontro virtual
O PT do Maranhão se reuniu ontem com a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann. O encontro foi virtual e coordenado pelo vice-presidente da legenda, Márcio Macedo.

Macedo chegou no fim da noite de ontem para a realização desta videoconferência. Ele também tinha previsão de encontro com direção do PT.

Nesta quinta-feira, 11, o petista tem encontro com Felipe Camarão - pré-candidato do PT por vontade de petistas governista -, com o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) e com o governador Flávio Dino (PSB).


Sem agenda
Chama atenção que na agenda do petista, até o momento, não tem nada em referência ao senador Weverton Rocha (PDT).

De duas, uma: ou não há necessidade de encontro aqui no Maranhão, já que as costuras passam pela direção nacional e assim vem acontecendo.

Ou Macedo não quer manter um diálogo com o pedetista, para evitar mais desconfortos com o PT local.

Confronto
Os vereadores de São Luís voltaram a se alfinetar devido à eleição da mesa diretora da Câmara Municipal prevista para acontecer em abril.

As trocas de farpas dominou as sessões desta semana e os que protagonizaram foram Paulo Victor (PCdoB) e Gutemberg Araújo (PSC).

Os dois trataram do assunto, mas, claro, com posturas bem diferentes. Paulo Victor mais incisivo, e com mais elegância o vice-presidente Gutemberg Araújo.



Sem máscaras
O governador Flávio Dino anunciou ontem que vai editar um decreto desobrigando o uso de máscaras em locais públicos.

A obrigatoriedade do uso da máscara começou a valer desde abril do ano passado, quando o nível de contágio da Covid-19 estava em ascensão, e o sistema de saúde no limite.

Durante todo o ano passado, e também este ano, Dino manteve a obrigatoriedade do uso de máscaras, chegando a criticar o presidente Jair Bolsonaro por sugerir que as máscaras fossem retiradas.

E mais

- Ainda sobre o decreto para desobrigar o uso de máscaras, Flávio Dino justificou dizendo que o Maranhão tem o menor índice de mortes por Covid.

- A linha de contágio reduziu e hoje é uma das menores do Brasil. Além, claro, da vacinação que avançou consideravelmente.

- A decisão de editar decreto sobre a desobrigação do uso de máscara foi anunciada durante evento do governador em Bacurituba.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

Selo IVC
© 2019 - Todos os direitos reservados.